Imigrantes são submetidas a retirada do útero em centro de detenção privado nos EUA

Enfermeira denuncia esterilização em massa e sem consentimento de mulheres em situação de vulnerabilidade. Departamento de Segurança abriu investigação

Imigrantes em centro de detenção no Texas visitado por Mike Pence
Imigrantes em centro de detenção no Texas visitado por Mike Pence (Foto: Reprodução/Twitter)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Portal Forum - Mulheres imigrantes presas em um centro de detenção privado no estado da Georgia, nos Estados Unidos teriam sido submetidas a histerectomias, procedimento altamente invasivo de retirada do útero que as impede de engravidar. A prática foi denunciada por uma enfermeira que trabalhou na unidade e entregou as informações para duas organizações de defesa de direitos civis, a Project South e a Government Accountability Project.

Autoridades de imigração do país confirmaram na última terça-feira (15) que o inspetor geral do Departamento de Segurança Nacional vai investigar a denúncia, seguindo solicitação das organizações. De acordo com a denúncia, as esterilização teria sido praticada em massa e sem o fornecimento correto de informações para as imigrantes, o que coloca em dúvida até mesmo se houve consentimento por parte delas.

A enfermeira Dawn Wooten trabalhou no Centro de Detenção do Condado de Irwin. Ela afirmou que mulheres que reclamavam de períodos menstruais intensos ou que pediam por anticoncepcionais eram enviadas a ginecologistas fora da prisão e que algumas delas eram submetidas a histerectomias, apesar de muitas não entenderem bem o procedimento.

“Ninguém explicou a elas”, disse Wooten. Segundo a enfermeira, embora o procedimento às vezes seja indicado, “não é comum que todos os úteros estejam ruins”, em referência ao alto número de cirurgias.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email