Impasse entre socialistas e Podemos deve deflagrar nova eleição na Espanha

A Espanha está à beira de uma nova eleição, depois que os socialistas e o partido de extrema-esquerda Unidas Podemos disseram nesta terça-feira (10) não ter avançado em uma nova rodada de negociações cuja meta é superar as diferenças para a formação de um governo

(Foto: Reuters)

Belén Carreño e Ingrid Melander (Reuters) - A Espanha está à beira de uma nova eleição, depois que os socialistas e o partido de extrema-esquerda Unidas Podemos disseram nesta terça-feira (10) não ter avançado em uma nova rodada de negociações cuja meta é superar as diferenças para a formação de um governo.

A política espanhola está no limbo desde uma eleição inconclusiva de abril que os socialistas venceram, mas sem cadeiras suficientes para governarem sem necessidade de alianças.

Se o Parlamento não chancelar o líder socialista Pedro Sánchez como primeiro-ministro até 23 de setembro, haverá uma nova eleição parlamentar em 10 de novembro, mas pesquisas de opinião mostram que isso dificilmente traria mais clareza para o quadro.

“Não vemos um caminho para chegar a um acordo”, disse a negociadora socialista Adriana Lastra, exortando o Podemos a reconsiderar sua exigência de ser parte de um governo de coalizão.

Os socialistas querem que o Podemos os apóiem sem participar do gabinete, o que estes recusam. Adriana disse que seu partido está disposto a voltar a conversar, mas o Podemos disse que isso veio com um ultimato.

“O PSOE (Partido Socialista) não está se afastando de sua ideia de ter um governo de um partido só, como se tivesse uma maioria plena. Se não aceitarmos essa ideia, eles nos disseram que não haverá mais reuniões”, disse o negociador do Podemos, Pablo Echenique. “Para nós, isso nos leva a eleições.”

As duas siglas vêm se chocando com frequência enquanto os socialistas tentam montar um governo, mas o tempo está acabando —a menos que uma das partes dê meia-volta.

Uma nova eleição seria a quarta em quatro anos. Os partidos espanhóis lutam para encontrar maneiras de governar o país em uma era na qual o domínio de décadas dos socialistas e do Partido Popular (PP) foi destroçado por partidos novos e muitas vezes populistas.

A volta às urnas aumentaria a vantagem dos socialistas, e o PP ganharia mais cadeiras do que em abril, mas nenhum deles obteria uma maioria, indicou uma sondagem divulgada na segunda-feira.

As pesquisas de opinião vêm apontando continuamente que os socialistas e o Ciudadanos de centro-direita teriam assentos suficientes para governar juntos, mas ambos descartaram esse cenários diversas vezes.

O crescimento espanhol vem se mantendo constantemente acima da média europeia desde que a nação emergiu de uma recessão prolongada em 2013. Até agora, a economia não tem sido afetada pelos problemas políticos do país.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247