Incêndio atinge Catedral de Notre Dame em Paris

Um incêndio começou na catedral de Notre Dame, no centro de Paris, na tarde desta segunda-feira (15), possivelmente envolvendo obras de renovação sendo realizadas no local, informou o Corpo de Bombeiros; assista

Incêndio atinge Catedral de Notre Dame em Paris
Incêndio atinge Catedral de Notre Dame em Paris (Foto: Reprodução TV)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik Brasil - Um grande incêndio ocorreu na catedral medieval de Notre-Dame, no centro de Paris, na tarde desta segunda-feira (15), levando bombeiros a limpar a área em torno de um dos marcos mais visitados da cidade.

A fumaça podia ser vista do topo da catedral gótica, enquanto chamas se espalharam além de suas duas torres, segundo relatos compartilhados nas redes sociais.

 A história do mundo vai se apagando aos poucos, dessa vez a vítima é a catedral de Notre Dame pic.twitter.com/UM9rORWJ2M

 

Não ficou imediatamente claro o que causou o incêndio. O canal de televisão France 2 relatou que a polícia estava tratando o incidente como um acidente.

A catedral, que remonta ao século XII e é famosa por apresentar no romance clássico de Victor Hugo, o Corcunda de Notre-Dame, atrai milhões de turistas todos os anos.

"Um incêndio terrível está acontecendo na Catedral de Notre-Dame, em Paris", disse a prefeita Anne Hidalgo no Twitter.

O presidente francês Emmanuel Macron cancelou um pronunciamento que faria ao país mais tarde, classificando o incêndio da catedral como "terrível". Ele deve visitar a catedral ainda na noite desta segunda-feira. Uma grande operação estava em curso, informou o Corpo de Bombeiros, enquanto um porta-voz da prefeitura disse no Twitter que a área estava sendo limpa.

A Catedral de Notre-Dame passava por reformas, com algumas seções sob andaimes, enquanto as estátuas de bronze foram removidas na semana passada para obras.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247