Índia atinge 100 mil mortes por Covid-19

A Índia superou a marca de 100 mil mortes provocadas pela Covid-19, de acordo com o balanço oficial divulgado na manhã deste sábado, se tornando o terceiro país com o maior número de óbitos no mundo, depois dos Estados Unidos e do Brasil

Profissionais da saúde recolhem material para testes de Covid-19 nas ruas de Mumbai, na Índia
Profissionais da saúde recolhem material para testes de Covid-19 nas ruas de Mumbai, na Índia (Foto: Francis Mascarenhas/Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Índia superou a marca de 100 mil mortes provocadas pela Covid-19, de acordo com o balanço oficial divulgado na manhã deste sábado (3), se tornando o terceiro país com o maior número de óbitos, depois dos Estados Unidos, com 208 mil mortes e do Brasil, com 145 mil mortes. A reportagem é do portal G1. 

Cerca de 6,5 milhões de pessoas foram diagnosticadas com a Covid-19 no país, que por sua vez é o segundo mais populoso do planeta, com 1,3 bilhão de habitantes.

Nas próximas semanas, a Índia deve se tornar o local com o maior número de casos confirmados da doença no planeta.

Especialistas no mundo todo questionam a precisão ou a confiabilidade dos números da Índia, que tem uma população quatro vezes maior que a dos EUA mas ainda assim registra metade das mortes.

"Não sabemos qual é a confiabilidade das taxas de mortalidade na Índia", declarou o virologista T. Jacob John à AFP. "A Índia não tem um sistema de vigilância da saúde pública que documente em tempo real todos os casos de doença e mortes", concluiu.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247