Indígena brasileiro ganha 'Nobel Alternativo' por defender a Floresta Amazônica

Jair Bolsonaro levou em sua comitiva à Assembleia Geral da ONU Isani Kalapalo, por ele apresentado como a porta-voz dos índios brasileiros. Mas a comunidade internacional reconheceu outro indígena brasileiro, Davi Kopenawa, para ganhar o Right Livelihood Award de 2019, conhecido popularmente como o "Prêmio Nobel Alternativo" ou como "o Nobel dos Direitos Humanos".

Davi Kopenawa
Davi Kopenawa (Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O jornalista Jamil Chade informa em seu blog que Kopenawa foi premiado pela "corajosa determinação dele em proteger as florestas e a biodiversidade da Amazônia, e as terras e a cultura de seus povos indígenas". 

Ele divide a honraria com a Hutukara Associação Yanomami, a entidade que ele criou no estado de Roraima. 

Além de Davi Kopenawa, foi premiada a sueca Greta Thunberg.   

Em um comunicado, a entidade com sede em Estocolmo indicou que Kopenawa "dedicou sua vida a proteger os direitos dos Yanomami, sua cultura e suas terras na Amazônia".  

"Estou muito feliz por receber o prêmio", disse o líder indígena. "

Ele chega na hora certa e é uma demonstração de confiança em mim e na Hutukara e em todos aqueles que defendem a floresta e o planeta Terra", afirmou.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email