Investigação não encontra conluio entre Trump e Rússia nas eleições de 2016

O procurador especial Robert Mueller encerrou sua investigação sobre a suposta interferência russa na eleição dos EUA e concluiu que o presidente Donald Trump não "conspirou e coordenou" com a Rússia; a íntegra da investigação não foi divulgada, mas consta em sumário entregue pelo procurador-geral Wilian Barr ao Congresso

Investigação não encontra conluio entre Trump e Rússia nas eleições de 2016
Investigação não encontra conluio entre Trump e Rússia nas eleições de 2016

247, com Sputnik - O procurador especial Robert Mueller encerrou sua investigação sobre a suposta interferência russa na eleição dos EUA e concluiu que o presidente Donald Trump não "conspirou e coordenou" com a Rússia. A íntegra da investigação não foi divulgada, mas consta em sumário entregue pelo procurador-geral Wilian Barr ao Congresso.

Mueller também apurava se Trump obstruiu a justiça, mas não chegou a uma resposta definitiva.

De acordo com o sumário publicado neste domingo (24), hackers ligados ao governo russo tiveram acesso aos computadores e ao e-mail de Hillary Clinton e do Partido Democrata durante a campanha eleitoral presidencial de 2016.

"O procurador especial estabeleceu que os atores do governo russo conseguiram hackear os computadores e acessaram o e-mail de pessoas próximas à campanha de Clinton e das organizações do Partido Democrata e divulgaram esses materiais", diz o sumário.

Trump, contudo, não teve relação com esses ataques eletrônicos, concluiu Mueller.

A Casa Branca afirma em comunicado que o sumário isenta Trump total e completamente.

Conheça a TV 247

Mais de Mundo

Ao vivo na TV 247 Youtube 247