Irã adverte que presença de Israel no Golfo Pérsico pode provocar uma guerra

Um destacado comandante do Corpo de Guardas do Irã considera ilegal qualquer presença de Israel no Golfo Pérsico e diz que isso pode desencadear uma guerra

Irã, Golfo Pérsico
Irã, Golfo Pérsico (Foto: HispanTV)

HispanTV - "Uma eventual presença do regime sionista (israelense) nas águas do Golfo Pérsico é ilegal, pois pode levar a guerras e confrontos militares na região", advertiu o comandante da Força Naval do Corpo Guardião da Revolução Islâmica (CGRI), Contra-almirante Ali Reza Tangsiri. 

Em uma entrevista concedida no domingo à rede  libanesa Al-Mayadeen, o alto comando militar persa acusou os Estados Unidos e o Reino Unido de  tentar criar uma força marítima "ilegal" no Golfo Pérsico e instou os dois países a assumirem a responsabilidade pelas possíveis consequências de uma presença israelense na área.  

Na terça-feira passada, e de acordo com a mídia israelense, o ministro das Relações Exteriores de Israel, Yisrael Katz, comentou sobre a possibilidade de se juntar à coalizão com Washington e Londres no Golfo Pérsico. 

A Casa Branca afirma que esta força marítima procura proteger a navegação livre nessas águas, mas que, de acordo com vários especialistas, ela realmente pretende abordar o Irã.  

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Irã, Seyed Abbas Musavi, alertou que uma possível presença de Israel nas sensíveis águas do Golfo Pérsico constitui uma clara ameaça a Teerã, e que a República Islâmica "reserva-se o direito de contra-atacar".  

A idéia de formar uma coalizão anti-Irã na região surgiu após uma série de ataques suspeitos contra vários petroleiros em meados de junho no mar de Omã.

Os Estados Unidos, Israel e seus aliados no Golfo Pérsico acusaram o Irã, sem qualquer evidência, de sabotagem, mas Teerã rejeitou categoricamente essa afirmação.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247