Irã afirma que tensões com EUA só acabam com suspensão das sanções

O vice-ministro de Relações Exteriores e negociador de questões nucleares do Irã, Abbas Araghchi, afirmou nesta quinta-feira (27) em Viena que a única forma de diminuir a atual tensão no Oriente Médio é que os Estados Unidos eliminem as sanções contra seu país

EFE - O vice-ministro de Relações Exteriores e negociador de questões nucleares do Irã, Abbas Araghchi, afirmou nesta quinta-feira (27) em Viena que a única forma de diminuir a atual tensão no Oriente Médio é que os Estados Unidos eliminem as sanções econômicas e diplomáticas impostas contra seu país.  

"O acordo nuclear (de 2015) está realmente em perigo", afirmou Araghchi em discurso em Viena durante um seminário sobre as "medidas coercitivas" dos EUA a países como Irã, Venezuela e Cuba.  

O vice-ministro iraniano disse que seu país está em uma "guerra econômica" com os EUA desde que o governo do presidente Donald Trump abandonou no ano passado de forma unilateral o acordo nuclear assinado em 2015.  

O responsável iraniano lamentou a saída dos EUA desse acordo, assinado por Teerã com outras cinco grandes potências (China, Rússia, Alemanha, Reino Unido e França) e lembrou que é o único acordo multilateral assinado no Oriente Médio. 

 "A tensão aumentou na nossa região e só haverá uma queda se houver um cessar-fogo nesta guerra econômica", ressaltou Araghchi.  "Esta é a posição do meu país: que deve haver um fim das sanções dos EUA. Caso contrário, a nossa região sofreria grandes tensões, e isto ninguém quer", acrescentou Araghchi.  

O vice-ministro iraniano afirmou que é um erro pensar que o mundo será mais seguro se este acordo for cancelado e reivindicou o fim das sanções econômicas dos EUA.  "Nós fizemos esta negociação de boa-fé durante dois anos e meio e fechamos um acordo equilibrado. Agora, esse equilíbrio se perdeu com a imposição de sanções por parte de Washington", avaliou Aragchi.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247