Irã diz que só retorna ao acordo nuclear se EUA suspenderem sanções

O presidente do Irã, Hassan Rohani, exige que os EUA suspendam todas as sanções contra o país persa, se quiser que Teerã volte ao acordo nuclear. Uma das condições necessárias é o fim do embargo às armas, disse o líder da República islâmica

Presidente do Irã, Hassan Rohani
Presidente do Irã, Hassan Rohani (Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O presidente iraniano, Hassan Rohani, criticou nesta quarta-feira (5) o presidente dos EUA, Donald Trump, por ter abandonado em 2018 o Plano Conjunto de Ação (JCPOA) e informou que Teerã pode voltar ao tratado se as sanções contra seu o país forem suspensas.

"Os americanos acabaram de acordar de seus sonhos sobre por que deixaram o JCPOA", disse o presidente durante uma reunião com seu gabinete, segundo a agência IRNA. Ele comentou que o tratado "tinha muitos benefícios" para Teerã e "era único na história do país".

"Trump cometeu um erro estúpido ao sair do acordo nuclear. [...] Se os EUA quiserem voltar ao acordo, devem suspender todas as sanções contra Teerã e compensar a reimposição de sanções ... O Irã dará uma resposta esmagadora se os EUA estenderem o embargo de armas a Teerã ", afirmou o presidente, segundo a Reuters.

Na semana passada, o New York Times informou que o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, quer estender o embargo convencional de armas de pequeno porte imposto ao Irã, que expira em outubro próximo. O rascunho de um documento ao qual o jornal teve acesso estabelece que Teerã "não fornecerá, venderá ou transferirá, direta ou indiretamente, de seu território, por seus nacionais ou pelo uso de navios ou aeronaves de outra bandeira, qualquer arma ou material relacionado".

Em um comentário, Pompeo confirmou que a Casa Branca quer manter o embargo. "Não podemos permitir que a República Islâmica do Irã compre armas convencionais em seis meses", afirmou Pompeo em comunicado ao The New York Times.

Informações de Russia Today.
 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247