Irã e Rússia acertam construção de centrais nucleares

Moscou ajudou Teerã a implantar a única central nuclear que o país detém, situada em Bushehr, cidade que acolherá as outras duas; devido à oposição do Ocidente, a construção das centrais nucleares deverá demorar anos e está prevista para começar em abril

Moscou ajudou Teerã a implantar a única central nuclear que o país detém, situada em Bushehr, cidade que acolherá as outras duas; devido à oposição do Ocidente, a construção das centrais nucleares deverá demorar anos e está prevista para começar em abril
Moscou ajudou Teerã a implantar a única central nuclear que o país detém, situada em Bushehr, cidade que acolherá as outras duas; devido à oposição do Ocidente, a construção das centrais nucleares deverá demorar anos e está prevista para começar em abril (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

*Da Agência Brasil
O Irã e a Rússia chegaram a um acordo preliminar para a construção de duas novas centrais de energia nuclear em Bushehr, anunciou um porta-voz da Organização Iraniana para a Energia Atômica (Oiea), citado pela agência de notícias Irna.

A Rússia já concluiu a construção da primeira central nuclear de 1.000 megawatts em Bushehr, uma península ao Sul do Irã, na costa do Golfo, que foi entregue aos iranianos em setembro do ano passado.

O acordo, ainda em fase preliminar, deverá ser assinado em breve pelo presidente da Oiea, Alá Akbar Salehí, e pelo presidente da empresa russa, Sergei Kiriyenko, de acordo com o porta-voz.

O vice-presidente da agência russa já está em Teerã para debater os detalhes do acordo, noticia a Efe.

Moscou ajudou Teerã a implantar a única central nuclear que o país detém, situada em Bushehr, cidade que acolherá as duas novas centrais.

Devido à oposição do Ocidente, a construção das centrais nucleares deverá demorar anos e está prevista para começar em abril.

O programa nuclear do Irã gera muitas dúvidas para as potências ocidentais. O país alega que precisa ampliar suas centrais nucleares para fazer face ao aumento da procura de energia, e que negocia com os principais países mais transparência para responder às dúvidas sobre o seu programa nuclear.

*Com informações da Agência Lusa

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email