Irã ultrapassa limite de urânio enriquecido previsto em acordo nuclear

Irã ultrapassou o limite de seu estoque de urânio enriquecido previsto em um acordo de 2015 com grandes potências, desafiando uma advertência dos signatários europeus para que se mantivesse leal ao pacto apesar das sanções impostas pelo presidente dos EUA, Donald Trump, no ano passado, quando o país se retirou do acordo

(Foto: REUTERS/Leonhard Foeger)

Reuters - O Irã ultrapassou o limite de seu estoque de urânio enriquecido previsto em um acordo de 2015 com grandes potências, disseram duas fontes à Reuters nesta segunda-feira, desafiando uma advertência dos signatários europeus para que se mantivesse leal ao pacto apesar das sanções impostas pelos Estados Unidos.

“Como anunciamos quando dissemos que nossos passos continuariam, o estoque ultrapassou os 300kg”, disse uma das fontes.

Segundo a agência semioficial de notícias Fars, uma fonte disse que a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) medirá o estoque do Irã nesta segunda-feira.

Enriquecer urânio a um baixo nível de 3,6% de material físsil é o primeiro passo em um processo que eventualmente pode permitir ao Irã acumular urânio altamente enriquecido para construir uma ogiva nuclear.

Na última quarta-feira, a AIEA verificou que o Irã tinha cerca de 200 quilos de urânio de baixo enriquecimento, um pouco abaixo do limite de 202,8 quilos do acordo, disseram à Reuters três diplomatas que acompanham o trabalho da agência. Nesta segunda-feira, a AIEA não estava imediatamente disponível para comentar.

Depois de conversas na sexta-feira em Viena, o Irã disse que os países europeus ofereceram muito pouco em termos de assistência comercial para persuadi-lo a desistir do plano, uma resposta à decisão do presidente dos EUA, Donald Trump, no ano passado de desistir do acordo e reimpor sanções econômicas.

O acordo entre o Irã e seis potências mundiais suspendeu a maioria das sanções internacionais contra a nação do Oriente Médio em troca de restrições ao trabalho nuclear com o objetivo de estender o tempo necessário para que o Irã produzisse uma bomba atômica, se assim escolhesse, de cerca de 2 a 3 meses a um ano.

O Irã afirma que seu programa nuclear visa somente a fins pacíficos, incluindo a geração de energia.

Em discurso nesta segunda-feira, transmitido ao vivo pela televisão estatal, o chanceler iraniano, Mohammad Javad Zarif, disse: “O Irã nunca cederá à pressão dos Estados Unidos... Se quiserem conversar com o Irã, devem mostrar respeito...”.

“Nunca ameace um iraniano... O Irã sempre resistiu à pressão e respondeu com respeito quando respeitado”.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247