Israel não forneceu evidências de que Hamas operasse em prédio de agências bombardeado, diz secretário de Estado dos EUA

De acordo com o secretário de Estado americano, Antony Blinken, os EUA não receberam evidência de Israel sobre operação do Hamas em edifício em Gaza que abrigava a agência de notícias AP, a emissora Al Jazeera e outros meios de comunicação e que foi atingido por um ataque aéreo israelense

Antony Blinken
Antony Blinken (Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Agência Sputnik - O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, disse que não recebeu até agora nenhuma evidência israelense de operação do Hamas em edifício em Gaza que abrigava a agência de notícias AP, a emissora Al Jazeera e outros meios de comunicação e que foi atingido por um ataque aéreo israelense no sábado (15).

"Pouco após o ataque, solicitamos detalhes adicionais sobre a justificativa para isso", afirmou nesta segunda-feira (17) Blinken, citado pela agência AP. O secrtário, todavia, recusou-se a discutir inteligência específica, acrescentando que "deixará para outros caracterizar se alguma informação foi compartilhada e nossa avaliação dessa informação''. Ainda assim, foi taxativo: "Eu não vi nenhuma informação fornecida [sobre os ataques]".

As declarações foram dadas durante uma entrevista coletiva em Copenhagen, Dinamarca, com o ministro dinamarquês das Relações Exteriores, Jeppe Kofod. Os comentários ocorrem depois que diplomatas do Conselho de Segurança da ONU e ministros das Relações Exteriores muçulmanos convocaram reuniões de emergência no fim de semana para exigir o fim do derramamento de sangue de civis na região.

Linda Thomas-Greenfield, embaixadora dos EUA nas Nações Unidas, afirmou em reunião de emergência de alto nível do Conselho de Segurança que os EUA estão "trabalhando incansavelmente por meio dos canais diplomáticos" para interromper os combates.

Cessar-fogo

A mídia afirma que a pressão sobre a administração do presidente norte-americano Joe Biden está aumentando para que o democrata solicite um cessar-fogo no conflito israelense-palestino.

De acordo com o secretário de Estado dos EUA, Washington está pronto para dar seu apoio a Israel e à Palestina se ambos tentarem um cessar-fogo.

"Pedimos a todas as partes que garantam a proteção de civis, especialmente crianças, respeitem o Direito Internacional Humanitário, protejam instalações médicas, organizações de mídia e protejam instalações da ONU onde os civis procuram abrigo desesperadamente. E estamos prontos para dar apoio se as partes buscarem um cessar-fogo", disse Blinken, que acrescentou que Washington está trabalhando "intensamente" para acabar com a violência na região.

'Crime de guerra'

Israel destruiu o edifício Al-Jalaa, que era a base de diversos veículos de comunicação em Gaza, alegando que o Hamas usava o prédio como escritório de inteligência militar. O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu chamou o prédio de um "alvo perfeitamente legítimo".

No domingo (16), a AP pediu uma investigação independente sobre o ataque. Sally Buzbee, editora-executiva da agência, disse que o governo israelense ainda não forneceu evidências claras para apoiar seu ataque.

O órgão de vigilância Repórteres Sem Fronteiras, por sua vez, solicitou ao Tribunal Penal Internacional que investigue o bombardeio israelense como "possível crime de guerra".

Blinken conversou por telefone no sábado (15) com o presidente e CEO da AP, Gary Pruitt. O Departamento de Estado dos EUA afirmou que Blinken ofereceu "seu apoio resoluto aos jornalistas independentes e organizações de mídia em todo o mundo e observou a indispensabilidade de suas reportagens em zonas de conflito".

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email