Israel pede que Colômbia reverta decisão de reconhecer Estado palestino

A embaixada de Israel na Colômbia, país presidido por Iván Duque Márquez, pediu que o país sul-americano reverta a decisão de reconhecer a Palestina como Estado, considerando que vai "contra" as "estreitas relações" entre as duas nações

Israel pede que Colômbia reverta decisão de reconhecer Estado palestino
Israel pede que Colômbia reverta decisão de reconhecer Estado palestino (Foto: Reuters)

Agência EFE - A embaixada de Israel na Colômbia pediu na quarta-feira que o país sul-americano reverta a decisão de reconhecer a Palestina como Estado, considerando que vai "contra" as "estreitas relações" entre as duas nações.

"Solicitamos ao governo colombiano que reverta a decisão do governo anterior nos seus últimos dias, o que constitui uma violação das estreitas relações, a ampla cooperação em áreas vitais e os interesses dos dois povos", disse a embaixada de Israel, através de um comunicado.

A decisão, com a qual a Colômbia se tornou o último país sul-americano em reconhecer a Palestina como um Estado "livre, independente e soberano", foi tomada pelo ex-presidente Juan Manuel Santos e suas implicações, segundo afirmou o atual ministro das Relações Exteriores colombiano, Carlos Holmes Trujillo, serão analisadas pelo novo governo que tomou posse na última terça-feira.

Segundo uma carta divulgada na quarta, a ex-chanceler colombiana María Ángela Holguín, quem deixou o cargo ao final do mandato de Santos, notificou a decisão no último dia 3 ao seu então colega palestino Riad Maliki.

Sobre essa questão, a embaixada de Israel se mostrou "muito surpresa e decepcionada" pela decisão do governo anterior e com a maneira como foi tomada.

"Devemos esperar que um governo amigo informe antecipadamente o outro sobre uma mudança de política que é tão crucial para seu aliado. Trata-se de uma bofetada na cara de um amigo leal, que contradiz a qualidade das relações e a proximidade entre os países e seus líderes", acrescentou a informação.

A vice-presidente colombiana, Marta Lucía Ramírez, afirmou por sua parte que um assunto tão "sensível de política externa como o conflito entre Palestina e Israel" o presidente Santos "decidiu sobre a institucionalidade".

"Iván Duque e o chanceler vão recuperar instituições citando a Comissão Consultiva de Relações Exteriores", acrescentou a vice-presidente.

O ministro Carlos Holmes Trujillo disse que para o novo governo colombiano "é prioritário manter relações de cooperação com aliados e amigos e o compromisso de contribuir, como sempre, para a paz e segurança internacional ".

Ao ser questionado sobre se é uma decisão que ser revogada, Trujillo comentou que vão "analisar as implicações, o conteúdo da nota em detalhes" e acrescentou que o governo "agirá de acordo com o direito internacional".

Conheça a TV 247

Mais de Mundo

Ao vivo na TV 247 Youtube 247