Johnson volta ao ataque e diz que vai suspender Parlamento de 8 a 14 de outubro

A suspensão do Parlamento britânico dá tempo para o governo preparar a agenda legislativa, que será lida pela rainha na Câmara dos Comuns

(Foto: UK Parliament/Jessica Taylor/Divulgação via REUTERS)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

EFE - O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, suspenderá o Parlamento na próxima terça-feira (8) e o reabrirá no dia 14 de outubro, quando a rainha Elizabeth II pronunciará o chamado Discurso da Rainha, que dará início à nova legislatura. 

A suspensão dá tempo para o governo preparar a agenda legislativa, que será lida pela monarca na Câmara dos Comuns.

Normalmente, há um Discurso da Rainha a cada ano, mas o último ocorreu em 21 de junho de 2017, já que a primeira-ministra anterior, Theresa May, quis um curso parlamentar mais longo para negociar a saída do Reino Unido da União Europeia (UE).

Em agosto, Boris Johnson decretou uma suspensão do Parlamento entre 10 de setembro e 14 de outubro, mas, após receber várias reivindicações, a Suprema Corte a considerou ilegal por ser excessivamente longa e ter o objetivo de conseguir uma vantagem política.

A suspensão provisória decretada agora, que tem uma duração mais habitual, significa que na próxima quarta-feira não haverá a sessão semanal de perguntas ao primeiro-ministro, com a qual os deputados controlam a atividade do governo.

Também não dará tempo para que a oposição realize a curto prazo mais manobras legislativas a fim de impedir uma saída da UE sem acordo na data prevista, 31 de outubro.

O governo de Johnson divulgou nesta quarta-feira a sua proposta para chegar a um acordo de Brexit com a UE antes dessa data. O plano é substituir a polêmica salvaguarda para evitar uma fronteira física entre Irlanda do Norte e República da Irlanda.

O líder conservador propõe manter uma área regulatória comum para bens em toda a ilha da Irlanda, mas também propõe realizar controles alfandegários não na fronteira, e sim em dependências próximas, o que em princípio não era desejável nem para Dublin nem para Bruxelas.

Johnson tentará conseguir um acordo com o Conselho Europeu de 17 e 18 de outubro e já afirmou que, se não for possível, está disposto a realizar o Brexit sem tratados bilaterais.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247