Juiz dos EUA manda prender ex-chefe de campanha de Trump

O ex-chefe de campanha de Donald Trump, Paul Manafort, é acusado de tentar subornar testemunhas enquanto aguarda o julgamento pelas acusações de conspiração e lavagem de dinheiro; Manafort estava em liberdade desde que pagou a fiança de US$ 7 milhões e conseguiu o benefício de aguardar o julgamento em prisão domiciliar

Paul Manafort, ex-gerente de campanha do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, durante coletiva de imprensa em Nova York 17/08/2016 REUTERS/Carlo Allegri
Paul Manafort, ex-gerente de campanha do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, durante coletiva de imprensa em Nova York 17/08/2016 REUTERS/Carlo Allegri (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik - O ex-chefe de campanha de Donald Trump, Paul Manafort, é acusado de subornar testemunhas enquanto aguarda o julgamento pelas acusações de conspiração e lavagem de dinheiro.

De acordo com o The New York Times, Manafort, em liberdade provisória desde que pagou a fiança de US$ 7 milhões e conseguiu o benefício de aguardar o julgamento em prisão domiciliar, teria tentado comprar o silêncio de duas testemunhas-chave no processo conduzido pelo procurador especial, Robert Mueller. Manafort foi preso em conexão com as investigações que apuram a alegada interferência russa nas eleições americanas de 2016.

Promotores que integram a equipe de Mueller denunciaram que Manafort tentou entrar em contato com possíveis testemunhas por meio de ligações e aplicativos de mensagens criptografadas. Pelo menos uma testemunha confirmou ao FBI ter sido abordada pelo ex-chefe de campanha.

Nos documentos apresentados ao juiz, os promotores argumentaram que as tentativas de contato violam os termos da liberdade condicional concedida e pediram a revogação da prisão domiciliar de Manafort. Ele deve ser enviado para a cadeia, onde aguardará por julgamento.

Embora Manafort tenha sido preso por denúncia oferecida pelo mesmo time que investiga a interferência russa nas eleições, os crimes apurados não se relacionam com sua atividade como chefe de campanha de Trump.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247