Juiz mantém acusação de homicídio em segundo grau contra ex-policial que matou George Floyd

O juiz Peter Cahill, do Condado de Hennepin, rejeitou uma acusação menor de assassinato contra o ex-policial de Mineápolis Derek Chauvin

(Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

(Reuters) - Um juiz rejeitou uma acusação menor de assassinato contra o ex-policial de Mineápolis Derek Chauvin, e decidiu que ele ainda irá enfrentar uma acusação mais séria de homicídio no caso da morte de George Floyd em maio, de acordo com uma decisão publicada nesta quinta-feira.

O juiz Peter Cahill, do Condado de Hennepin, disse que procuradores não tinham causa provável para implicar Chauvin em homicídio do terceiro grau, mas disse que as evidências suportam o julgamento pela acusação de homicídio em segundo grau, que pode levar a décadas de prisão.

O governador do Estado de Minnesota, Tim Walz, anunciou que havia acionado a Guarda Nacional de Minnesota como uma “medida de precaução” após a decisão, que segundo o político marca “um passo positivo em direção à Justiça para George Floyd”.

A prisão que acabou no assassinato de Floyd no dia 25 de maio, que foi gravada em vídeo por pessoas que presenciaram a cena, provocou semanas de fúria e protestos muitas vezes violentos em Mineápolis e no restante do país contra a brutalidade policial e o racismo. Chauvin é branco, enquanto Floyd era um homem negro.

Cahill descreveu em detalhes como Chauvin usou seu joelho para pressionar o pescoço e o rosto de Floyd “no implacável concreto da Avenida Chicago” em Mineápolis, mesmo depois de Floyd dizer que não conseguia respirar e perder a consciência.

Cahill manteve acusações contra três policiais --Thomas Lane, J. Alexander Kueng e Tou Thao-- por alegado auxílio e cumplicidade no assassinato. Kueng e Lane ajudaram a segurar Floyd no chão ao imobilizarem suas costas e pernas, apontou Cahill, enquanto Thao manteve à distância um grupo de pessoas que assistia a cena.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247