Justiça derrota Trump e bloqueia parte do plano de construir muro

Um juiz federal dos Estados Unidos emitiu uma ordem que bloqueia temporariamente uma parte do muro na fronteira com o México que o presidente Donald Trump pretende construir

Justiça derrota Trump e bloqueia parte do plano de construir muro
Justiça derrota Trump e bloqueia parte do plano de construir muro
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Ansa - Um juiz federal dos Estados Unidos emitiu uma ordem que bloqueia temporariamente uma parte do muro na fronteira com o México que o presidente Donald Trump pretende construir.

Haywood Gilliam, do tribunal de Oakland, na Califórnia, acatou um pedido apresentado por uma coalizão de 20 estados (a maioria governados por democratas), e duas entidades, de direitos civis e ambientais.

Em conjunto, eles processaram o governo federal por desviar US$ 6,6 bilhões do Orçamento do Pentágono e do Tesouro para a construção do muro.

"A posição que, quando o Congresso rejeita a solicitação do Executivo para alocar recursos, o Executivo pode simplesmente encontrar uma fórmula para gastar os fundos 'sem o Congresso', não se encaixa com os princípios fundamentais da separação de poderes que se remetem à origem da República", disse Gilliam.

Após um longo impasse que levou os EUA a um shutdown, o Congresso aprovou o Orçamento em fevereiro, dando US$ 1,3 bilhão para o muro de Trump. Como o valor era inferior aos US% 5, 7 bilhões solicitados pelo magnata republicano, Trump decidiu declarar emergência nacional na fronteira, como uma manobra para obter fundos sem a necessidade do Congresso.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247