Justiça suspende decreto de Trump contra imigrantes e refugiados

Justiça Federal dos EUA suspendeu na noite desse sábado, 28, as deportações de refugiados e cidadãos de sete países de maioria muçulmana (Irã, Iraque, Líbia, Sudão, Somália e Síria) barrados nos aeroportos americanos após decreto assinado pelo presidente Donald Trump; segundo a magistrada Ann M. Donnelly, a implementação da ordem de Trump e o envio dos viajantes de volta para seus países pode causar a eles "danos irreparáveis"; juíza cobrou ainda do governo uma lista com os nomes de todas as pessoas retidas nos aeroportos do país nos últimos dois dias

Donald Trump 
Donald Trump  (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Justiça Federal dos EUA suspendeu na noite desse sábado, 28, as deportações de refugiados e cidadãos de sete países de maioria muçulmana (Irã, Iraque, Líbia, Sudão, Somália e Síria) barrados nos aeroportos americanos após decreto assinado pelo presidente Donald Trump.

A juíza Ann M. Donnelly, da Corte Federal do Brooklyn, aceitou um pedido da União Americana pelas Liberdades Civis (ACLU, da sigla em inglês), em ação interposta depois que dois iraquianos foram detidos na sexta-feira (27) no aeroporto John F. Kennedy, em Nova York. O grupo estima que entre 100 e 200 pessoas foram afetadas até o momento pelo decreto.

Segundo a magistrada Ann M. Donnelly, a implementação da ordem de Trump e o envio dos viajantes de volta para seus países pode causar a eles "danos irreparáveis". A juíza cobrou ainda do governo uma lista com os nomes de todas as pessoas retidas nos aeroportos do país nos últimos dois dias.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247