Lista do Kremlin significa de fato rompimento das relações com EUA, diz senador russo

Na "Lista do Kremlin" está incluído quase todo o governo da Rússia, o que de fato significa o rompimento das relações entre os dois países, declarou à Sputnik o primeiro vice-presidente do Comitê de Assuntos Internacionais do Conselho da Federação, Vladimir Dzhabarov; "Formalmente, os nossos países têm relações, mas a inclusão na lista de sanções de praticamente todo o nosso governo significa que essas relações estão se rompendo de fato", sublinhou

Na "Lista do Kremlin" está incluído quase todo o governo da Rússia, o que de fato significa o rompimento das relações entre os dois países, declarou à Sputnik o primeiro vice-presidente do Comitê de Assuntos Internacionais do Conselho da Federação, Vladimir Dzhabarov; "Formalmente, os nossos países têm relações, mas a inclusão na lista de sanções de praticamente todo o nosso governo significa que essas relações estão se rompendo de fato", sublinhou
Na "Lista do Kremlin" está incluído quase todo o governo da Rússia, o que de fato significa o rompimento das relações entre os dois países, declarou à Sputnik o primeiro vice-presidente do Comitê de Assuntos Internacionais do Conselho da Federação, Vladimir Dzhabarov; "Formalmente, os nossos países têm relações, mas a inclusão na lista de sanções de praticamente todo o nosso governo significa que essas relações estão se rompendo de fato", sublinhou (Foto: Aquiles Lins)

Sputnik Brasil - Na "Lista do Kremlin" está incluído quase todo o governo da Rússia, o que de fato significa o rompimento das relações entre os dois países, declarou à Sputnik o primeiro vice-presidente do Comitê de Assuntos Internacionais do Conselho da Federação, Vladimir Dzhabarov.

A lista do Departamento do Tesouro dos EUA, na qual estão incluídos 96 homens de negócio e 114 altos funcionários e dirigentes de companhias estatais da Rússia, não significa que contra essas pessoas sejam introduzidas sanções, tal hipótese existe no futuro. No entanto, tais sanções já foram aplicadas pelos EUA contra alguns integrantes da lista.

"Formalmente, os nossos países têm relações, mas a inclusão na lista de sanções de praticamente todo o nosso governo significa que essas relações estão se rompendo de fato", sublinhou Dzhabarov.

O senador chamou as novas sanções de "gravíssima interferência" nos assuntos internos da Rússia. "Estas são totalmente desproporcionais em relação àquilo de que a Rússia é acusada", disse.

Além do premiê russo Dmitry Medvedev, na lista são incluídos vários vice-presidentes do governo (Dmitry Rogozin, Igor Shuvalov, Arkady Dvorkovich), o ministro das Relações Exteriores Sergei Lavrov, o ministro da Defesa Sergei Shoigu, o porta-voz do presidente da Rússia Dmitry Peskov, entre outros.

O embaixador dos EUA na Rússia, Jon Huntsman, assegurou anteriormente a Sputnik que a publicação desse documento não significa a aplicação imediata de novas sanções.

O Departamento do Tesouro confirmou que o documento contém somente recomendações.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247