Macron é reprovado por 62% nos primeiros cem dias no cargo

Pesquisa do instituto Harris Interactive, realizado com 994 pessoas, aponta que 62% dos franceses estão insatisfeitos com o governo do presidente Emmanuel Macron, que acaba de completar os primeiros cem dias no cargo, enquanto 37% se dizem contentes com a atual gestão; 29% dos entrevistados se mostraram totalmente insatisfeitos com Macron e 33%, "bem insatisfeitos"; apenas 7% se disseram muito contentes com o início da gestão e 30%, "bem satisfeitos"

Pesquisa do instituto Harris Interactive, realizado com 994 pessoas, aponta que 62% dos franceses estão insatisfeitos com o governo do presidente Emmanuel Macron, que acaba de completar os primeiros cem dias no cargo, enquanto 37% se dizem contentes com a atual gestão; 29% dos entrevistados se mostraram totalmente insatisfeitos com Macron e 33%, "bem insatisfeitos"; apenas 7% se disseram muito contentes com o início da gestão e 30%, "bem satisfeitos"
Pesquisa do instituto Harris Interactive, realizado com 994 pessoas, aponta que 62% dos franceses estão insatisfeitos com o governo do presidente Emmanuel Macron, que acaba de completar os primeiros cem dias no cargo, enquanto 37% se dizem contentes com a atual gestão; 29% dos entrevistados se mostraram totalmente insatisfeitos com Macron e 33%, "bem insatisfeitos"; apenas 7% se disseram muito contentes com o início da gestão e 30%, "bem satisfeitos" (Foto: Gisele Federicce)

Do Opera Mundi - Uma pesquisa divulgada na última quarta-feira 16 aponta que 62% dos franceses estão insatisfeitos com o governo do presidente Emmanuel Macron, que acaba de completar os primeiros cem dias no cargo, enquanto 37% se dizem contentes com a atual gestão.

De acordo com um levantamento do instituto Harris Interactive, realizado com 994 pessoas entre os dias 8 e 10 de agosto, 29% dos entrevistados se mostraram totalmente insatisfeitos com Macron e 33%, "bem insatisfeitos". Apenas 7% se disseram muito contentes com o início da gestão e 30%, "bem satisfeitos".

Segundo a pesquisa, 89% dos simpatizantes do “A República em Marcha”, partido de Macron, ainda aprovam o desempenho do presidente francês. Por outro lado, 57% dos seguidores socialistas estão insatisfeitos, assim como 75% da grande formação da direita Os Republicanos, 87% da esquerda radical da França Insubmissa e do Partido Comunista Francês, e 94% do ultradireitista Frente Nacional.

A maioria dos entrevistados concorda com o caráter prioritário das principais reformas que o presidente quer desenvolver, com especial interesse nas do sistema educativo, da moralização da política e da unificação do sistema de pensões.  Todas elas são necessárias para mais de 70% dos franceses. A reforma trabalhista, a mais complicada do ponto de vista social, é vista como fundamental para 56% dos entrevistados.

“Letargia do verão”

Perguntado sobre a impopularidade de Macron em uma pesquisa similar publicada pelo jornal Le Figaro às vésperas dos cem dias de mandato que se completaram nesta terça (15/08) – que dava só 36% de aprovação –, o ministro do Interior francês, Gérard Collomb, contextualizou a situação atual para justificar o fato.

Em entrevista publicada nesta quarta-feira pelo mesmo jornal, Collomb aponta que, diferentemente do que ocorreu no começo dos mandatos dos presidentes anteriores, agora houve uma sessão extraordinária do Parlamento durante a qual se trabalhou "muito".

"Quando você está na ação desde o princípio, está exposto às críticas mais do que se deixar os franceses na letargia do verão", afirmou.

… temos algo a sugerir. Cada vez mais gente lê Opera Mundi, mas a publicidade dos governos, com o golpe, foi praticamente zerada para a imprensa crítica, e a publicidade privada não tem sido igualmente fácil de conseguir, apesar de nossa audiência e credibilidade. Ao contrário dos sites da mídia hegemônica, nós não estamos usando barreiras que limitam a quantidade de matérias que podem ser lidas gratuitamente por mês. Queremos manter o jornalismo acessível a todos. Produzir um jornalismo crítico e independente custa caro e dá trabalho. Mas nós acreditamos que o esforço vale a pena, pois um jornalismo desse tipo é essencial num mundo que preza a democracia. E temos certeza de que você concorda com isso.

Conheça a TV 247

Mais de Mundo

Ao vivo na TV 247 Youtube 247