Manifestantes invadem embaixada da Venezuela na Bolívia

Um grupo de indivíduos encapuzados e armados com dinamite invadiu a embaixada venezuelana na Bolívia. A chefe da missão diplomática gravou áudio denunciando a violência: "Querem nos massacrar". ONU reage à violação

Manifestantes na Bolívia
Manifestantes na Bolívia (Foto: AP Photo / Juan Karita)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik Brasil - Um grupo de indivíduos encapuzados e armados com dinamite invadiu a embaixada venezuelana na Bolívia. A chefe da missão diplomática gravou áudio denunciando a violência: "Querem nos massacrar". ONU reage à violação.

O ataque se seguiu à renúncia do presidente da Bolívia, Evo Morales, após ter perdido o apoio das Forças Armadas e da polícia do país. Antes de renunciar, Morales comunicou que residências de familiares de membros do governo foram incendiadas.

A representante da Venezuela para Bélgica, Luxemburgo e União Europeia, Claudia Salerno Caldera, denunciou em sua conta no tweeter: "um grupo armado com dinamites, com os rostos cobertos, forçou violentamente a entrada da Embaixada da Venezuela em La Paz".

"'Com dinamites, encapuzados  e portando escudos, tomaram a embaixada da Venezuela na Bolívia. Estamos bem e abrigados, mas querem nos massacrar. Ajude-nos a denunciar essa barbárie', embaixadora da Venezuela na Bolívia, Chris González."

"Assim atacaram a embaixada da Venezuela na Bolívia durante o golpe de Estado consumado contra o presidente eleito Evo Morales. Tal como no caso dos incêndios de casas de familiares de membros do governo, nem a Polícia, nem as Forças Armadas protegeram [as instalações]."

Caldera nota que a embaixada não foi protegida pelas Forças Armadas, nem pela polícia boliviana. De acordo com o direito internacional, as missões diplomáticas são invioláveis e é dever do país anfitrião protegê-las.

O porta-voz do secretário-geral da ONU, Stéphane Dujarric, instou as autoridades a "garantir a segurança de todos os cidadãos, funcionários governamentais e cidadãos estrangeiros" em território boliviano.

Dujarric ressaltou a necessidade das "instituições estatais e locais serem respeitadas, assim como a inviolabilidade das missões diplomáticas".

A Convenção de Viena sobre Relações Diplomáticas de 1961 garante a imunidade das missões diplomáticas, assim como a de seus agentes e funcionários. As prerrogativas visam garantir a inviolabilidade dos consulados e embaixadas, que devem poder cumprir suas funções sem a interferência do país anfitrião.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247