May pede ajuda à União Europeia para aprovar acordo do Brexit

A primeira-ministra britânica, Theresa May, pediu aos seus colegas líderes da União Europeia (UE)nesta quinta-feira (13) concessões para que ela consiga conquistar algum apoio no Parlamento no mês que vem para um acordo que possa garantir que o Reino Unido saia de maneira suave da UE

May pede ajuda à União Europeia para aprovar acordo do Brexit
May pede ajuda à União Europeia para aprovar acordo do Brexit (Foto: REUTERS/Toby Melville)

247, com Reuters - A primeira-ministra britânica, Theresa May, pediu aos seus colegas líderes da União Europeia (UE)nesta quinta-feira (13) concessões para que ela consiga conquistar algum apoio no Parlamento no mês que vem para um acordo que possa garantir que o Reino Unido saia de maneira suave da UE.

Chegando em Bruxelas para uma conferência um dia após uma tentativa frustrada de derrubá-la em seu país, May disse que não estava esperando um avanço imediato, mas que queria ajuda para que o pacote que ela havia acertado com a UE no mês passado fosse ratificado em Londres, onde muitos de seu Partido Conservador são contrários.

May foi recebida com boa vontade pelos líderes da UE, mas também com um alerta: o acordo de saída do Bresit alcançado no mês passado não será reaberto.

Diplomatas dizem que uma das opções seria estipular um prazo —possivelmente o final de 2021— como uma meta recomendada para concluir uma próxima aliança comercial entre a UE e o Reino Unido.

O desembarque do Reino Unido da UE, a maior mudança de política comercial e externa do país em 40 anos, está se mostrando um desafio complicado pelas divisões profundas no Partido Conservador de May.

Com menos de quatro meses para a data estipulada para a saída do Reino Unido no dia 29 de março, May enfrenta um impasse no Parlamento sobre o acordo, que endureceu as posições no país, jogando mais incerteza sobre as empresas que estão tentando prever o que acontecerá com a economia.

"Eu reconheço a força das preocupações na Câmara dos Comuns e é isso que irei apresentar aos colegas hoje", disse May. "Eu não espero um avanço imediato, mas o que eu espero é que possamos sim começar a trabalhar o mais rápido possível sobre as garantias necessárias."

Os líderes da UE foram claros. Todos disseram que precisam saber o que May queria assegurar em Bruxelas mas também alertaram que o Reino Unido não poderia renegociar o acordo de saída.

Embora alguns tenham buscado atenuar suas palavras ao expressar a vontade de ajudar May, o presidente francês, Emmanuel Macron, foi direto.

"Não podemos renegociar o que foi negociado por meses a fio", disse ele a jornalistas. "É Theresa May que precisa nos dizer qual a solução política que ela espera conseguir para encontrar uma maioria que aprove esse acordo."

A chanceler alemã, Angela Merkel, foi um pouco mais branda. "Nós podemos, é claro, falar sobre se há garantias adicionais, mas nisso os 27 membros da UE estão juntos e farão seus interesses claros, embora sempre no espírito de que iremos querer relações muito boas com a Grã-Bretanha após a Grã-Bretanha deixar a União Europeia".

May conquistou um voto de confiança no partido na quarta-feira por 200 votos a 117, mas o tamanho da votação contra ela aprofundou as divisões a poucas semanas da votação do Parlamento para aprovar o acordo do Brexit e evitar uma saída desordenada da UE. A vitória também teve seu preço —May prometeu que renunciaria até a próxima eleição, marcada para 2022.

Sua porta-voz disse que o acordo do Brexit será apresentado ao Parlamento "assim que possível" em janeiro.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247