Medvedev fustiga Poroshenko: não tem chances de vencer eleições na Ucrânia

O primeiro-ministro da Rússia, Dmitry Medvedev (foto), afirmou na terça-feira (27) que o presidente ucraniano, Pyotr Poroshenko, não tem nenhuma chance de vencer as eleições na Ucrânia no ano que vem; o Ministério russo das Relações exteriores acusa a Ucrânia de violar o direito internacional com as provocações que fez ao adentrar a fronteira marítima russa

Medvedev fustiga Poroshenko: não tem chances de vencer eleições na Ucrânia
Medvedev fustiga Poroshenko: não tem chances de vencer eleições na Ucrânia
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247, com Sputnik - O primeiro-ministro da Rússia, Dmitry Medvedev (foto), afirmou na terça-feira (27) que o presidente ucraniano, Pyotr Poroshenko, não tem nenhuma chance de vencer as eleições na Ucrânia no ano que vem; o Ministério russo das Relações exteriores acusa a Ucrânia de violar o direito internacional com as provocações que fez ao adentrar a fronteira marítima russa.

"É óbvio que o atual presidente Poroshenko não tem chances de vencer as eleições da forma como as coisas estão neste momento, e talvez ele não tenha chances de passar ao segundo turno", disse Medvedev à imprensa. Ele acredita que as provocações que deram origem ao incidente no Estreito de Kerch foram motivadas para garantir a Poroshenko vantagens políticas.

O primeiro-ministro russo afirmou também que o incidente pode acarretar problemas econômicos para a Ucrânia.

"Obviamente, este incidente é uma complicação adicional aos processos em curso na Ucrânia", afirmou. "Isso irá criar ou, ao menos, pode criar sérios problemas para a economia da Ucrânia", acrescentou, dizendo ainda que isso naturalmente é prejudicial para as relações entre Rússia e Ucrânia.

No domingo (25), três navios ucranianos — Berdyansk, Nikopol e Yany Kapu — adentraram a fronteira marítima da Rússia de forma ilegal e foram detidos pela Marinha russa.

Para o Ministério das Relações Exteriores da Rússia, as ações dos navios ucranianos foram uma provocação e uma violação da lei internacional.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247