Megavazamento gera pânico entre os super-ricos

"Offshore Leaks" vaza 2,5 milhões de documentos e registros internos de empresas com algo em torno de US$ 32 trilhões escondidos em paraísos fiscais, como as Ilhas Virgens; entre os milhares de nomes revelados pelo Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos estão Jean-Jacques Augier, amigo e tesoureiro da campanha do presidente francês François Hollande, e o presidente do Azerbaijão, Ilham Aliyev; e no Brasil?

Megavazamento gera pânico entre os super-ricos
Megavazamento gera pânico entre os super-ricos
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Os jornais 'Guardian', 'Le Monde' e 'The Washington Post' anunciaram nesta quinta-feira o vazamento de "milhões de registros internos" de empresas britânicas offshore, apelidado de "Offshore Leaks". Os documentos expõem pela primeira vez a identidade de milhares de pessoas, de mais de 170 países, ligadas a empresas offshore com dinheiro escondido em paraísos fiscais. Entre eles estão Jean-Jacques Augier, amigo e tesoureiro da campanha do presidente francês François Hollande, e o presidente do Azerbaijão, Ilham Aliyev.

O vazamento é resultado de parceria do Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ na sigla em inglês) com 38 veículos. O consórcio obteve um drive com 200 GB com arquivos de agências nas Ilhas Virgens Britânicas, Cingapura e Ilhas Cook. A base de dados contém informações de 120 mil empresas e é 160 vezes maior que os arquivos divulgados em 2010 pelo WikiLeaks sobre o Departamento de Estado norte-americano.

A lista de milionários, que somariam algo em torno de US$ 32 trilhões escondidos em paraísos fiscais, inclui governantes e famílias ricas de países como Canadá, Estados Unidos, Índia, Paquistão, Indonésia, Irã, China, Tailândia e ex-repúblicas comunistas. É gente como o ex-primeiro ministro da Mongólia Bayartsogt Sangajav, o marido de uma senadora canadense e a filha de Ferdinand Marcos, ex-ditador filipino.

O deputado federal Anthony Garotinho (PR-RJ) escreveu em seu blog que o assunto é um dos "mais comentados hoje aqui em Brasília". "E tem gente já na base do Lexotan", brincou. "Vêm muitas bombas por aí. Salve-se quem puder! Eu vou ficar assistindo de camarote", comentou. Será que aparecem nomes brasileiros nos próximos dias?

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email