Mercosul condena golpe e parlamentares se retiram

17 de 20 integrantes da delegação brasileira se retiraram nesta segunda-feira, 25, da sessão plenária do Parlasul, o parlamento do Mercosul, em Montevidéu; decisão ocorreu um dia depois do presidente da entidade, o deputado argentino Jorge Taiana, classificar como golpe o processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff; "Nós ficamos surpresos quando hoje vimos no site oficial do Parlasul uma declaração irresponsável do presidente em relação ao processo de impeachment que acontece no Brasil", disse o deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA); os três brasileiros que permaneceram na solenidade são os deputados Benedita da Silva (PT-RJ), Ságuas Moraes (PT-MT) e Jean Wyllys (PSOL-RJ), que chamou de "arrogante e indecorosa" a postura dos parlamentares que se retiraram

17 de 20 integrantes da delegação brasileira se retiraram nesta segunda-feira, 25, da sessão plenária do Parlasul, o parlamento do Mercosul, em Montevidéu; decisão ocorreu um dia depois do presidente da entidade, o deputado argentino Jorge Taiana, classificar como golpe o processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff; "Nós ficamos surpresos quando hoje vimos no site oficial do Parlasul uma declaração irresponsável do presidente em relação ao processo de impeachment que acontece no Brasil", disse o deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA); os três brasileiros que permaneceram na solenidade são os deputados Benedita da Silva (PT-RJ), Ságuas Moraes (PT-MT) e Jean Wyllys (PSOL-RJ), que chamou de "arrogante e indecorosa" a postura dos parlamentares que se retiraram
17 de 20 integrantes da delegação brasileira se retiraram nesta segunda-feira, 25, da sessão plenária do Parlasul, o parlamento do Mercosul, em Montevidéu; decisão ocorreu um dia depois do presidente da entidade, o deputado argentino Jorge Taiana, classificar como golpe o processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff; "Nós ficamos surpresos quando hoje vimos no site oficial do Parlasul uma declaração irresponsável do presidente em relação ao processo de impeachment que acontece no Brasil", disse o deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA); os três brasileiros que permaneceram na solenidade são os deputados Benedita da Silva (PT-RJ), Ságuas Moraes (PT-MT) e Jean Wyllys (PSOL-RJ), que chamou de "arrogante e indecorosa" a postura dos parlamentares que se retiraram (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Integrantes da delegação brasileira se retiraram nesta segunda-feira, 25, da sessão plenária do Parlasul, o parlamento do Mercosul, em Montevidéu. 

Decisão ocorreu um dia depois do presidente da entidade, o deputado argentino Jorge Taiana, classificar como golpe o processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff. Para Taiana, o julgamento político é uma "situação escandalosa". "Isto é um golpe parlamentar, é uma utilização forçada da lei de impeachment", diz o deputado em nota.

Além da nota, 17 dos 20 membros ficaram inconformados com o fato de terem sido colocados na última fileira de assentos no local reservado à solenidade

"Nós ficamos surpresos quando hoje vimos no site oficial do Parlasul uma declaração irresponsável do presidente em relação ao processo de impeachment que acontece no Brasil", disse o deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), membro da delegação. "A designação dos lugares foi uma consequência do que Taiana diz no site. Foi uma retaliação para humilhar a delegação brasileira", afirmou. Entre os congressistas brasileiros que também se retiraram estava o senador Roberto Requião (PMDB-PR).

Os três brasileiros que permaneceram na solenidade são os deputados Jean Wyllys (PSOL-RJ), Benedita da Silva (PT-RJ) e Ságuas Moraes (PT-MT). Pelo Twitter, Jean Wyllys chamou de "arrogante e indecorosa" a postura dos parlamentares que se retiraram. O deputado ainda lamentou que os ausentes "perderam a chance de ouvir as autoridades do Mercosul se dizerem preocupadas com o que está acontecendo no Brasil".

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email