Merkel chega à Turquia para tentar aliviar crise imigratória

A chanceler alemã, Angela Merkel, chegou a uma província turca neste sábado para se encontrar com o primeiro-ministro turco Ahmet Davutoglu, em meio aos esforços para aliviar as tensões provocadas por uma crise migratória; há três semanas, Merkel pediu que líderes europeus apoiassem um acordo para devolver milhares de imigrantes das ilhas gregas para a Turquia; mas as dúvidas sobre a eficácia, viabilidade a longo prazo e legalidade da proposta têm crescido

A chanceler alemã, Angela Merkel, chegou a uma província turca neste sábado para se encontrar com o primeiro-ministro turco Ahmet Davutoglu, em meio aos esforços para aliviar as tensões provocadas por uma crise migratória; há três semanas, Merkel pediu que líderes europeus apoiassem um acordo para devolver milhares de imigrantes das ilhas gregas para a Turquia; mas as dúvidas sobre a eficácia, viabilidade a longo prazo e legalidade da proposta têm crescido
A chanceler alemã, Angela Merkel, chegou a uma província turca neste sábado para se encontrar com o primeiro-ministro turco Ahmet Davutoglu, em meio aos esforços para aliviar as tensões provocadas por uma crise migratória; há três semanas, Merkel pediu que líderes europeus apoiassem um acordo para devolver milhares de imigrantes das ilhas gregas para a Turquia; mas as dúvidas sobre a eficácia, viabilidade a longo prazo e legalidade da proposta têm crescido (Foto: Romulo Faro)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Ercan Gurses e Andreas Rinke

Gaziantep (Reuters) - A chanceler alemã, Angela Merkel, chegou a uma província turca neste sábado para encontrar-se com o primeiro-ministro turco Ahmet Davutoglu, em meio aos esforços para aliviar as tensões provocadas por uma crise migratória.

Há quase três semanas, Merkel pediu que líderes europeus apoiassem um acordo para devolver milhares de imigrantes das ilhas gregas para a Turquia. Mas as dúvidas sobre a eficácia, viabilidade a longo prazo e legalidade da proposta têm crescido.

O acordo, junto com o fechamento de fronteiras na Europa, para impedir que contrabandistas garantissem a passagem aos estados do norte da Europa, no começo diminuiu bruscamente o número de recém-chegados à Grécia.

Mas barcos foram chegando com cerca de 150 pessoas por dia, indicando que a "vedação hermética" do percurso parece ter terminado, disse a Organização Internacional para a Migração .

Merkel, o presidente do Conselho da UE Donald Tusk e o vice-presidente da Comissão Europeia Frans Timmermans devem discutir a crise migratória com Davutoglu após a visita a um campo de refugiados na cidade de Nizip.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247