Ministério Público da Bolívia pede prisão de Evo Morales por 'terrorismo'

Em mais uma ação no quadro da ofensiva antidemocrática do regime golpista boliviano contra as forças progressistas, o Ministério Público do país andino pede a prisão do ex-presidente sob a acusação de convocar apoiadores a bloquear estradas durante protestos, o que, segundo a concepção ditatorial dos acusadores, seria "terrorismo"

Evo Morales
Evo Morales (Foto: REUTER)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Ministério Público da Bolívia pediu nesta segunda-feira (6) a prisão e a extradição do ex-presidente Evo Morales, sob acusação de terrorismo. O ex-presidente, afastado do poder por um golpe de Estado, vive com o status de refugiado em Buenos Aires, na Argentina.

A acusação foi emitida por uma comissão de promotores anticorrupção devido ao chamado "caso áudio", que investiga uma gravação telefônica em que o ex-presidente teria convocado apoiadores na Bolívia a bloquear ruas e estradas durante os atos que ocorreram depois de sua saída do país por pressão do Exército, informa a Folha de S.Paulo. Os áudios revelariam conversas de Evo com o ativista e dirigente cocaleiro Faustino Yucra.

Para o Ministério Público Evo Morales "instruiu o dirigente cocaleiro a cometer atos ilícitos durante os episódios violentos registrados no país a partir do dia 10 de novembro."

O derrotado candidato à Presidência Carlos Mesa se soma à acusação, ao afirmar que há evidências de que Evo esteve por trás das manifestações populares contra a posse da interina Jeanine Añez, inclusive causando bloqueios em sistemas de abastecimento de comida e de coleta de lixo.

Evo comentou a decisão nas redes sociais: "De maneira ilegal e inconstitucional, a Procuradoria, em La Paz, pretende acusar-me de terrorismo com um áudio alterado e sem ser notificado, uma prova mais de que há uma perseguição política do governo ditatorial. Logo voltará a democracia e o Estado de Direito 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email