Ministra da Justiça do Japão nega conspiração de promotores contra Carlos Ghosn

A Ministra da Justiça do Japão, Masako Mori, rebateu mais uma vez as críticas de Carlos Ghosn contra a justiça japonesa. Ela disse que as declarações de Ghosn são “abstratas, obscuras e sem fundamento”

Carlos Ghosn
Carlos Ghosn
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Ministra da Justiça do Japão, Masako Mori, rebateu mais uma vez as críticas de Carlos Ghosn contra a justiça japonesa. Ela disse que as declarações de Ghosn são “abstratas, obscuras e sem fundamento”.

A ministra da justiça afirmou que o Japão pratica usualmente o seguinte protocolo: "apenas indiciar um suspeito com alta probabilidade de condenação do tribunal com base em evidências suficientes, de modo a evitar que uma pessoa inocente sofra com o ônus de arcar com as despesas judiciais."

Segundo a reportagem do portal G1, a ministra ainda afirma que "nenhuma das acusações irá justificar a fuga de Ghosn do Japão. Ela termina o comunicado dizendo que o executivo pode apresentar provas concretas das acusações em um tribunal japonês."

Ela completa: "é minha grande esperança que o acusado Ghosn adote todos os esforços possíveis para apresentar suas opiniões nos procedimentos justos de justiça criminal do Japão e que busque a justiça prestada por um tribunal japonês.”

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247