Missão da AIEA não foi afetada pelo bombardeio da usina de Zaporíjia

Tropas ucranianas têm bombardeado regularmente a usina nuclear de Zaporíjia

Usina nuclear de Zaporíjia

TASS - Representantes da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) saíram ilesos do bombardeio ucraniano durante sua visita à usina nuclear de Zaporíjia, disse à TASS Alexander Volga, chefe da administração civil-militar da cidade de Energodar, à TASS.

"Não, ninguém [da missão da AIEA] ficou ferido no caminho. Mas o bombardeio maciço ucraniano continuou praticamente até a chegada da missão da AIEA. Houve até um atraso de três horas. Naturalmente, entendo muito bem que o governo ucraniano tentou mudar de ideia, dizendo que as tropas russas estavam supostamente envolvidas em algum tipo de luta incompreensível, entre a usina nuclear [unidades militares] e algumas tropas regulares que estão aqui. A missão da AIEA e especificamente o Sr. [diretor-geral da AIEA, Rafael] Grossi teve o bom senso de não acreditar nessas histórias e de vir avaliar por si mesmo a situação atual da usina nuclear de Zaporíjia", disse ele.

Volga observou que o chefe da AIEA não pôde deixar de ver por que os moradores da cidade, que decidiram coletar assinaturas em uma petição a Kiev e à comunidade internacional para que a Ucrânia parasse de bombardear a usina, o abordaram. Segundo o chefe regional, Grossi viu que isso foi feito "para evitar a catástrofe universal que pode ocorrer como resultado de bombardeios constantes". 

CONTINUA DEPOIS DAS RECOMENDAÇÕES

Recentemente, tropas ucranianas bombardearam regularmente a usina nuclear de Zaporíjia e Energodar com armas pesadas. A Ucrânia também tentou desembarcar tropas perto da usina do lado do reservatório. 

Na quinta-feira (1), uma missão da AIEA liderada pelo diretor-geral Rafael Grossi visitou a usina e a cidade. Após a visita, ele disse que a integridade das instalações da usina nuclear de Zaporíjia era motivo de preocupação, juntamente com o aumento das batalhas em suas proximidades. Grossi também conversou com os moradores de Energodar, que lhe entregaram uma petição para impedir as provocações ucranianas contra a usina. Os representantes da agência ficaram temporariamente lá.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.