Moscou impõe novas restrições da Covid-19 em meio a recorde de mortes na Rússia

As novas regras foram anunciadas horas depois de a Rússia registrar 1.015 mortes relacionadas ao coronavírus, o maior número diário desde o início da pandemia, além de 33.740 novos casos nas últimas 24 horas

www.brasil247.com - Hospital de campanha para tratamento da Covid-19 em Moscou
Hospital de campanha para tratamento da Covid-19 em Moscou (Foto: REUTERS/Maxim Shemetov)
Siga o Brasil 247 no Google News

(Reuters) - O prefeito de Moscou anunciou nesta terça-feira uma restrição de quatro meses para pessoas com mais de 60 anos não vacinadas, que devem ficar em casa, e o governo russo propôs o fechamento por uma semana dos locais de trabalho, conforme a Rússia atinge mais um recorde no número de mortes diárias por Covid-19.

As medidas refletem um senso crescente de urgência por parte das autoridades, que vêm enfrentando um rápido aumento no número de casos e a relutância pública generalizada em tomar a vacina de fabricação russa Sputnik V contra o coronavírus.

Moscou, uma cidade de 12,7 milhões de habitantes, pediu às pessoas com mais de 60 anos que fiquem em casa por quatro meses a partir de 25 de outubro, a menos que estejam vacinadas ou tenham se recuperado da Covid-19, e que as empresas mantenham pelo menos 30% de seus funcionários trabalhando de forma remota.

PUBLICIDADE

"O número de pessoas hospitalizadas com a forma grave da doença está aumentando a cada dia", escreveu o prefeito de Moscou, Sergei Sobyanin, em seu site.

"O mais alarmante é a situação da infecção por Covid-19 entre a geração mais velha", acrescentou, dizendo que adultos acima dos 60 anos respondem por 60% dos pacientes, quase 80% das pessoas em ventilação e 86% das mortes.

PUBLICIDADE

As novas regras foram anunciadas horas depois de a Rússia registrar 1.015 mortes relacionadas ao coronavírus, o maior número diário desde o início da pandemia, além de 33.740 novos casos nas últimas 24 horas.

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email