Nigéria enterra 43 agricultores mortos após ataque

Moradores do estado de Borno, no nordeste da Nigéria, enterraram 43 agricultores mortos em um ataque de supostos militantes islâmicos. Cerca de 30 dos homens foram decapitados no ataque

Cerca de 30 pessoas são decapitadas na Nigéria em ataque supostamente cometido por islâmicos
Cerca de 30 pessoas são decapitadas na Nigéria em ataque supostamente cometido por islâmicos (Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Reuters - No domingo, moradores do estado de Borno, no nordeste da Nigéria, enterraram 43 agricultores mortos em um ataque de supostos militantes islâmicos, enquanto as forças de segurança procuravam dezenas que ainda estavam desaparecidos.

Cerca de 30 dos homens foram decapitados no ataque, que começou na manhã de sábado na aldeia de Zabarmari, enquanto os moradores disseram que 70 pessoas ao todo estão mortas.

Embora não tenha havido reclamação de responsabilidade, tais massacres foram cometidos no passado pelo Boko Haram ou pela Província do Estado Islâmico da África Ocidental, ambos ativos na área, onde militantes islâmicos mataram pelo menos 30.000 pessoas.

O presidente nigeriano, Muhammadu Buhari, condenou os assassinatos e disse que “todo o país está ferido”.

Em Zabarmari, dezenas de pessoas em luto cercaram os corpos, que foram embrulhados em mortalhas fúnebres brancas e colocados em paletes de madeira, enquanto clérigos conduziam orações pelos mortos.

Um residente e a Anistia Internacional disseram que 10 mulheres estavam desaparecidas.

O coordenador humanitário das Nações Unidas, Edward Kallon, disse que ficou “indignado e horrorizado” com “o ataque direto mais violento” contra civis neste ano.

A ONU estimou que pelo menos 110 pessoas foram mortas em toda a área do governo local de Jere, no estado de Borno.

O governador do estado de Borno, Babagana Zulum, falando nos cemitérios, pediu ao governo federal que recrutasse mais soldados, membros da Força Tarefa Conjunta Civil e combatentes da defesa civil para proteger os agricultores.

“Por um lado, eles ficam em casa e podem ser mortos pela fome e pela inanição, por outro, vão para as suas fazendas e correm o risco de ser mortos pelos insurgentes”, disse ele.

Os preços dos alimentos na Nigéria aumentaram dramaticamente no último ano, devido a enchentes, fechamento de fronteiras e insegurança em algumas áreas produtoras de alimentos.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247