Norte-americanos se colocaram contrários ao racismo da extrema direita, afirma professor da Unesp

Para Juarez Xavier, os protestos após o assassinato de George Floyd foram determinantes para o resultado eleitoral nos EUA contra Donald Trump. ‘A aliança construída nos processos de ação e mobilização contra a violência policial acabou se consolidando nesse processo eleitoral’, afirmou à TV 247. Assista

Juarez Xavier
Juarez Xavier (Foto: Alesp | Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O professor do curso de Jornalismo da Universidade Estadual Paulista (Unesp) Juarez Xavier analisou na TV 247 o significado do resultado da eleição dos Estados Unidos sob a ótica da importância para a população negra. Para ele, a derrota do republicano Donald Trump evidencia a oposição dos norte-americanos à discriminação racial promovida pela extrema direita.

Xavier destacou primeiramente a “significativa” adesão dos negros ao processo eleitoral em 2020, mesmo com as dificuldades impostas pelo sistema a essas pessoas. “Historicamente os grupos de extrema direita nos Estados Unidos procuram dificultar o voto negro, de impedir o processo de votos. Há registros de pessoas ficaram mais de dez horas esperando para votar. Então houve uma participação significativa dos votos da população negra nos Estados Unidos, que eu acho extremamente importante”.

Ele também pontuou que todo o levante ocorrido após o assassinato de George Floyd - homem negro morto por um policial branco que se ajoelhou em sua cabeça até a vítima ficar sem ar - influenciou no resultado do pleito, já que levou às urnas a preocupação com questões raciais. “Os movimentos sociais pautaram o debate. É óbvio que não pautaram no sentido de assegurar a integridade das suas propostas, dada a realidade social nos Estados Unidos, mas sem dúvida alguma a morte de George Floyd e todo o processo desencadeado pelo Black Lives Matter teve um papel extremamente importante na discussão, não apenas do ponto de vista da questão dos jovens negros, da militância negra, mas também dos jovens brancos de classe média democráricos. Isso me pareceu importante. Um pouco daquela aliança construída nos processos de ação e mobilização contra a violência policial acabou se consolidando um pouco nesse processo eleitoral”.

Ainda de acordo com o professor, “de modo geral, houve uma posição da sociedade norte-americana contrária à convivência com o discurso político da extrema direita em relação a questão racial, isso me parece um dado novo”.

Inscreva-se na TV 247, seja membro e compartilhe:

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247