Nova Zelândia condena à prisão perpétua supremacista branco que atacou mesquitas

Supremacista branco Brenton Tarrant foi nesta quinta-feira (27) à prisão perpétua sem condicional por ter matado 51 fiéis muçulmanos em duas mesquitas no ano passado. Foi a primeira vez que um tribunal neozelandês condenou uma pessoa a passar o resto da vida presa

Brenton Tarrant
Brenton Tarrant (Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Reuters - Um juiz da Nova Zelândia condenou o supremacista branco Brenton Tarrant nesta quinta-feira à prisão perpétua sem condicional por ter matado 51 fiéis muçulmanos durante o ataque a tiros mais mortífero da história do país, dizendo que a pena não é uma punição suficiente pelos crimes "perversos".

Foi a primeira vez que um tribunal neozelandês condenou uma pessoa a passar o resto da vida presa.

Cameron Mander, juiz da Alta Corte de Christchurch, disse que Tarrant não mostrou remorso e que nenhum tempo que passe na prisão, por mais longo que seja, bastaria para reparar seus crimes.

"Seus crimes... são tão perversos que, mesmo que você fique detido até morrer, isso não esgotará as exigências de punição e denúncia", disse o juiz ao comunicar a sentença.

"Tanto quanto consigo averiguar, você é destituído de qualquer empatia por suas vítimas", disse.

Tarrant, um australiano de 29 anos, admitiu as 51 acusações de assassinato, 40 acusações de tentativa de assassinato e uma acusação de tentativa de cometimento de ato terrorista durante o ataque a tiros de 2019 em duas mesquitas de Christchurch, que ele transmitiu ao vivo pelo Facebook.

Ele matou 44 pessoas em Al Noor, a mais jovem delas um menino de três anos baleado à queima-roupa, e depois atacou uma segunda mesquita no subúrbio vizinho de Linwood, matando mais sete pessoas.

Antes de comunicar a sentença, Mander perguntou a Tarrant se ele tinha algum comentário. Tarrant assentiu quando indagado se estava ciente de que tinha direito de se pronunciar, mas não falou.

"Hoje, os procedimentos legais contra este crime hediondo foram feitos. Nenhuma punição devolverá nossos entes queridos", disse Gamal Fouda, o imã da mesquita de Al Noor.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email