Nova Zelândia nomeia a primeira ministra indígena das Relações Exteriores

A Nova Zelândia nomeou sua primeira ministra das Relações Exteriores indígena. Nanaia Mahuta, que é Māori, o povo indígena do país. Com as eleições, o novo parlamento do país é um dos mais diversos do mundo. Quase metade dos legisladores serão mulheres. Cerca de 10% dos novos parlamentares são abertamente LGBTQ

Nova ministra das Relações Exteriores da Nova Zelândia, Nanaia Mahuta, durante nomeação
Nova ministra das Relações Exteriores da Nova Zelândia, Nanaia Mahuta, durante nomeação (Foto: AAP Image/Ben McKay/via Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Nova Zelândia nomeou sua primeira ministra das Relações Exteriores indígena nessa segunda-feira (2). Há quatro anos, Nanaia Mahuta, que é Māori, o povo indígena do país, também se tornou a primeira mulher no parlamento do país a usar um moko kauae, uma tatuagem tradicional no queixo. O ex-ministro das Relações Exteriores do país Winston Peters também é Māori.

"Tenho o privilégio de liderar a conversa no espaço estrangeiro", disse Mahuta, de acordo com a emissora nacional Radio New Zealand.

No mês passado, o Partido Trabalhista de centro-esquerda da primeira-ministra Jacinda Ardern foi reeleito, ganhando 49,1% dos votos, conforme os resultados preliminares. Com 64 das 120 cadeiras, a legenda foi a primeira a conquistar a maioria desde que o atual sistema político do país foi introduzido em 1996.

De acordo com informações publicadas pela CNN americana, o novo parlamento é um dos mais diversos do mundo. Quase metade dos legisladores do país serão mulheres - mais alta do que a média global de 25%.

Cerca de 10% dos novos parlamentares são abertamente LGBTQ. O novo vice-primeiro-ministro da Nova Zelândia, Grant Robertson, também é gay.

"Este é um gabinete e um executivo que se baseia no mérito que também é incrivelmente diverso e estou orgulhoso disso", disse Ardern na segunda-feira ao anunciar seu gabinete. "Eles refletem a Nova Zelândia que os elegeu", acrescentou.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247