Nove membros das Farc são mortos na Colômbia

Nove membros da guerrilha de esquerda Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia foram mortos na segunda-feira em um ataque aéreo do Exército colombiano e em confrontos com tropas na salva no sudeste do país, disse o presidente Juan Manuel Santos em sua conta no Twitter; "Forças militares e a polícia de Meta derrubaram nove membros das fronts 7 e 27 das Farc e capturaram quatro. A ofensiva continua. Não vamos baixar a nossa guarda", tuitou Santos

Presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, durante coletiva de imprensa em Bogotá. 16/11/2014. REUTERS/Javier Casella/Colombian Presidency/Handout via Reuters
Presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, durante coletiva de imprensa em Bogotá. 16/11/2014. REUTERS/Javier Casella/Colombian Presidency/Handout via Reuters (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

BOGOTÁ (Reuters) - Nove membros da guerrilha de esquerda Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) foram mortos na segunda-feira em um ataque aéreo do Exército colombiano e em confrontos com tropas na salva no sudeste do país, disse o presidente Juan Manuel Santos em sua conta no Twitter.

A operação, que segundo fontes militares e da polícia envolveu o uso de aviões e helicópteros, aconteceu na província de Meta, uma vasta área onde acredita-se haver recursos significativos de petróleo e onde a guerrilha mantém uma firme presença.

"Forças militares e a polícia de Meta derrubaram nove membros das fronts 7 e 27 das Farc e capturaram quatro. A ofensiva continua. Não vamos baixar a nossa guarda", tuitou Santos.

Os militares combatem as Farc apesar das negociações de paz em andamento entre o grupo rebelde e o governo colombiano em Cuba, na tentativa mais promissora de acabar com um conflito de 50 anos que já deixou mais de 220 mil mortos.

O governou rejeita a demanda das Farc por um cessar-fogo bilateral durante as negociações, afirmando que a melhor forma de avançar nas conversas de paz é mantendo a pressão militar sobre o grupo, cujo tamanho diminuiu pela metade em uma década.

(Reportagem de Luis Jaime Acosta)

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247