'O ódio racial é a linguagem política da elite', enfatiza Linera sobre golpe na Bolívia

"Porém, o ódio racial só pode destruir; não é um horizonte, não é mais que uma primitiva vingança de uma classe histórica e moralmente decadente de demonstra que por trás de cada medíocre liberal se esconde um consumado golpista", afirmou Alvaro García Linera, ex-vice-presidente da Bolívia, que está exilado no México após o golpe

Indignação e esperança: essa é a fórmula de mobilização social para a construção do mundo que supere a sociedade construída sobre o poder do dinheiro
Indignação e esperança: essa é a fórmula de mobilização social para a construção do mundo que supere a sociedade construída sobre o poder do dinheiro (Foto: Emir Sader)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - "Como uma espessa nuvem noturna, o ódio recorre vorazmente os bairros das classes médias urbanas tradicionais da Bolívia", sintetizou Alvaro García Linera, ex-vice-presidente da Bolívia, que renunciou ao mandato após pressão de força milicianas que deram um golpe no país e está exilado no México, juntamente com Evo Morales. 

Em artigo publicado no La Jornada deste domingo (17), Linera afirma que essa elite irada somente "impõe" e "seus cânticos não são de esperança nem de irmandade, são de desprezo e discriminação contra os índios". De acordo com a Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), o número de mortos em quase um mês de manifestações na Bolívia chega a 23.

"O ódio racial é a linguagem política desta classe média tradicional. De nada servem seus títulos acadêmicos, viagens e fé; porque ao final tudo se dilui ante a ascendência. No fundo a estirpe imaginada é mais forte e parece aderida á linguagem espontânea da pele que odeia, dos gestos viscerais e de sua moral corrompida", afirma.

E conclui: "Porém, o ódio racial só pode destruir; não é um horizonte, não é mais que uma primitiva vingança de uma classe histórica e moralmente decadente de demonstra que por trás de cada medíocre liberal se esconde um consumado golpista".

Confira a íntegra do artigo no La Jornada.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247