Obama confirma morte de refém por Estado Islâmico

O presidente dos Estados Unidos Barack Obama confirmou neste domingo a morte do refém norte-americano Peter Kassig, dizendo que o trabalhador humanitário foi morto "em um ato de pura maldade" por militantes do Estado Islâmico

O presidente dos Estados Unidos Barack Obama confirmou neste domingo a morte do refém norte-americano Peter Kassig, dizendo que o trabalhador humanitário foi morto "em um ato de pura maldade" por militantes do Estado Islâmico
O presidente dos Estados Unidos Barack Obama confirmou neste domingo a morte do refém norte-americano Peter Kassig, dizendo que o trabalhador humanitário foi morto "em um ato de pura maldade" por militantes do Estado Islâmico (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos Barack Obama confirmou neste domingo a morte do refém norte-americano Peter Kassig, dizendo que o trabalhador humanitário foi morto "em um ato de pura maldade" por militantes do Estado Islâmico.

O grupo disse em um vídeo no domingo que havia decapitado Kassig, e advertiu os Estados Unidos que iria matar outros cidadãos norte-americanos "em suas ruas".

"Hoje, oferecemos nossas orações e condolências aos pais e familiares de Abdul-Rahman Kassig, também conhecido por nós como Peter", disse Obama em um comunicado à imprensa no Air Force One enquanto voltava da Austrália.

(Por Alina Selyukh e Bill Trott)

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247