Obama joga golfe com Macri e prova que ninguém sai na foto com Temer

Depois de ignorar Michel Temer durante a sua vinda ao Brasil, o ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, jogou golfe com o presidente argentino, Maurício Macri; o encontro confirma o que foi dito pelo embaixador Rubens Ricupero, que afirmou que, após o golpe de 2016, líderes internacionais evitam o Brasil e encontros com Temer, rejeitado por mais de 90% dos brasileiros; ou seja: mesmo tendo apoiado o golpe contra a presidente Dilma Rousseff e a democracia brasileira, Obama considera Temer – denunciado por corrupção, organização criminosa e obstrução judicial – radioativo demais para a boa imagem que tenta cultivar pelo mundo

Depois de ignorar Michel Temer durante a sua vinda ao Brasil, o ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, jogou golfe com o presidente argentino, Maurício Macri; o encontro confirma o que foi dito pelo embaixador Rubens Ricupero, que afirmou que, após o golpe de 2016, líderes internacionais evitam o Brasil e encontros com Temer, rejeitado por mais de 90% dos brasileiros; ou seja: mesmo tendo apoiado o golpe contra a presidente Dilma Rousseff e a democracia brasileira, Obama considera Temer – denunciado por corrupção, organização criminosa e obstrução judicial – radioativo demais para a boa imagem que tenta cultivar pelo mundo
Depois de ignorar Michel Temer durante a sua vinda ao Brasil, o ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, jogou golfe com o presidente argentino, Maurício Macri; o encontro confirma o que foi dito pelo embaixador Rubens Ricupero, que afirmou que, após o golpe de 2016, líderes internacionais evitam o Brasil e encontros com Temer, rejeitado por mais de 90% dos brasileiros; ou seja: mesmo tendo apoiado o golpe contra a presidente Dilma Rousseff e a democracia brasileira, Obama considera Temer – denunciado por corrupção, organização criminosa e obstrução judicial – radioativo demais para a boa imagem que tenta cultivar pelo mundo (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Barack Obama apoiou o golpe no Brasil, mas isso não é o bastante para que ele se encontre com Michel Temer. 

Depois de ignorar Temer durante a sua vinda ao Brasil, o ex-presidente dos Estados Unidos jogou golfe com o presidente argentino, Maurício Macri.

O encontro confirma o que foi dito pelo embaixador Rubens Ricupero, que afirmou que, após o golpe de 2016, líderes internacionais evitam o Brasil e encontros com Temer, rejeitado por mais de 90% dos brasileiros.

Ou seja: mesmo tendo espionado a Petrobras e apoiado o golpe contra a presidente Dilma Rousseff e a democracia brasileira, Obama considera Temer – denunciado por corrupção, organização criminosa e obstrução judicial – radioativo demais para a boa imagem que tenta cultivar pelo mundo.

Saiba mais no artigo Obama, go home.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247