Obama vai ao Marco Zero faturar a morte de Osama

Presidente visita bombeiros e deposita flores noMarco Zero, em homenagem s vtimas do 11 de setembro de 2011; popularidade est em alta; quando dissemos que no iramos esquecer, realmente queramos dizer isso, afirmou

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 (com agências internacionais) – O presidente Barack Obama está fazendo mais um movimento para faturar politicamente a morte de Osama Bin Laden. Nesta quinta-feira 5, ele está visitando locais escolhidos de Nova York, onde as Torres Gêmeas foram destruídas no atentados planejados por Bin Laden, em 11 de setembro de 2001, matando quase 3 mil americanos. Obama fez sua primeira parada no batalhão do Corpo de Bombeiros que perdeu 15 homens na batalha contra as chamas e o desmoronamento das torres. Em seguida, dirigiu-se ao Marco Zero, onde depositou flores em homenagem às vítimas do terrorista.

“Quando dissemos que nunca esqueceremos, realmente queremos dizer isso”, discursou o presidente. Este batalhão dos bombeiros abriga um memorial para os que morreram nas operações de salvamento. Dali, Obama iria para o Marco Zero, onde ficava o World Trade Center.

Em Roma, na manhã desta quinta-feira 5, a secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, jurou de morte os terroristas do mundo. “Todos aqueles que matam gente inocente serão abatidos ou entregues à Justiça”, disse ela. “Nenhum terrorista ficará sem castigo”. Hillary não aceitou nenhuma das críticas sobre a operação americana que resultou na execução de Osama Bin Laden, no domingo 1, no Paquistão. “A operação seguiu os mais altos níveis de profissionalismo. Bin Laden era um inimigo jurado dos Estados Unidos e um perigo para toda humanidade”, afirmou. “A intenção da operação foi a de acabar com a sua liderança sobre o terrorismo”.

Vista em uma das fotos divulgadas pela Casa Branca com as mãos sobre o rosto, enquanto assistia à transmissão em circuito fechado do assalto dos fuzileiros à mansão em que Bin Laden se escondia, Hillary não quis dizer aos jornalistas o que lhe causara aquela reação. Teria sido a imagem do terrorista sendo morto com um tiro na cabeça? “Não tenho ideia do que eu estava vendo naquele momento”, rspondeu. “Quem sabe foi a minha alergia à primavera”. Ela admitiu, porém, que assistir à operação foi uma experiência impactante. “Foram os 38 minutos mais tensos da minha vida”, afirmou.

A secretária de Estado falou aos jornalistas pouco antes de participar da reunião do Grupo de Contato com a Líbia, do qual fazem parte os 22 países que formam a aliança internacional contra o regime do ditador Muamar Kadafi. Ela disse que a intenção da reunião seria a de buscar “uma solução política” para o conflito. Hillary admitiu, por outro lado, a intenção de “aumentar a pressão” sobre o regime da Síria, que tem respondido com tiros e mortes aos protestos populares por democracia.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email