Odebreht e empresa de primo de Macri pagaram propina na Argentina

Em seu acordo de delação premiada, a empreiteira brasileira confirma ter pago propina no país vizinho, durante o governo dos Kirchner, mas também cita suborno relacionados à empresa Iecsa, que pertence ao primo do atual presidente, Mauricio Macri

Em seu acordo de delação premiada, a empreiteira brasileira confirma ter pago propina no país vizinho, durante o governo dos Kirchner, mas também cita suborno relacionados à empresa Iecsa, que pertence ao primo do atual presidente, Mauricio Macri
Em seu acordo de delação premiada, a empreiteira brasileira confirma ter pago propina no país vizinho, durante o governo dos Kirchner, mas também cita suborno relacionados à empresa Iecsa, que pertence ao primo do atual presidente, Mauricio Macri (Foto: Gisele Federicce)

247 – A Odebrecht confirmou em acordo de delação premiada no âmbito da Lava Jato ter pago propina na Argentina, durante o governo dos Kirchner, mas também cita suborno relacionados à empresa Iecsa, do primo do atual presidente, Mauricio Macri.

Segundo reportagem do Estado de S.Paulo, um dos pagamentos de propina era relacionado à obra do trem subterrâneo Sarmiento, que liga Buenos Aires ao município de Moreno, na região metropolitana.

A empresa não cita pagamentos diretos a Macri, mas sim ao empresário Angelo Calcaterra, um dos donos da Iecsa, que integra o consórcio responsável pela obra.

A empresa pertenceu ao pai do presidente, Franco Macri, até 2007, quando Mauricio assumiu a prefeitura da capital argentina. Segundo a Odebrecht, a Iecsa alimentou o caixa dois do qual saíram pagamentos para integrantes do governo Kirchner.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247