ONU apoia esforços para conter epidemia de coronavírus em território palestino

A ONU manifestou apoio aos esforços feitos na Palestina para conter o surto de coronavírus no território ocupado e cercado pelos Estado sionista israelense

Palestinos contam com apoio da ONU para enfrentar epidemia em meio ao cerco israelense
Palestinos contam com apoio da ONU para enfrentar epidemia em meio ao cerco israelense (Foto: Prensa Latina)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A ONU está coordenando esforços com a Autoridade Palestina e com o governo israelense para levar adiante as ações destinadas a enfrentar a ameaça do novo coronavírus.

O coordenador especial da ONU para o processo de paz no Oriente Médio, Nickolay Mladenov, apresentou um relatório sobre essas gestões ao Conselho de Segurança das Nações Unidas nesta quarta-feira (1º/4). 

O diplomata alertou que medidas unilaterais são prejudiciais à paz naquela região.

Nos últimos meses, ele lembrou, as autoridades de Tel Aviv declararam repetidamente sua intenção de anexar assentamentos israelenses e outras partes da Cisjordânia ocupada.

Se implementadas, essas medidas não apenas constituiriam uma violação grave do direito internacional, mas também efetivamente fechariam a perspectiva da solução de dois Estados e as portas às negociações entre israelenses e palestinos, alertou Mladenov.

Várias pessoas que contraíram a covid-19 residem na Faixa de Gaza - bloqueada e frequentemente bombardeada por Israel. 

Segundo representantes da Autoridade Palestina, suas unidades de atendimento carecem de equipamento suficiente para realizar o teste que exclui ou detecta a presença do novo coronavírus, para o que solicitou ajuda internacional.

Nos últimos dias, o presidente palestino Mahmoud Abbas disse às autoridades do setor de saúde que tomem medidas com diferentes países para obter suprimentos e equipamentos essenciais para enfrentar a atual emergência epidemiológica.

Além disso, o líder escreveu uma carta ao Secretário-Geral das Nações Unidas, Antonio Guterres, sugerindo a criação de um mecanismo institucional global para examinar a situação e propor soluções, informa a Prensa Latina.
 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247