ONU condena uso de gás lacrimogênio contra refugiados

Agência de refugiados da ONU condenou nesta segunda-feira o uso de gás lacrimogêneo pela polícia da Macedônia contra refugiados na fronteira com a Grécia; dezenas de imigrantes e refugiados ficaram feridos quando a polícia da Macedônia atirou balas de borracha e gás lacrimogêneo contra uma multidão no lado grego da fronteira; "Pessoas se machucam e propriedades são danificadas. Danos são feitos para a percepção de refugiados e para a imagem da Europa. Todos perdem", disse o porta-voz do Acnur, Adrian Edwards

Agência de refugiados da ONU condenou nesta segunda-feira o uso de gás lacrimogêneo pela polícia da Macedônia contra refugiados na fronteira com a Grécia; dezenas de imigrantes e refugiados ficaram feridos quando a polícia da Macedônia atirou balas de borracha e gás lacrimogêneo contra uma multidão no lado grego da fronteira; "Pessoas se machucam e propriedades são danificadas. Danos são feitos para a percepção de refugiados e para a imagem da Europa. Todos perdem", disse o porta-voz do Acnur, Adrian Edwards
Agência de refugiados da ONU condenou nesta segunda-feira o uso de gás lacrimogêneo pela polícia da Macedônia contra refugiados na fronteira com a Grécia; dezenas de imigrantes e refugiados ficaram feridos quando a polícia da Macedônia atirou balas de borracha e gás lacrimogêneo contra uma multidão no lado grego da fronteira; "Pessoas se machucam e propriedades são danificadas. Danos são feitos para a percepção de refugiados e para a imagem da Europa. Todos perdem", disse o porta-voz do Acnur, Adrian Edwards (Foto: Paulo Emílio)

Reuters - A agência de refugiados da ONU condenou nesta segunda-feira o uso de gás lacrimogêneo pela polícia da Macedônia contra refugiados na fronteira com a Grécia, e informou que tal ação prejudica a imagem da Europa.

Dezenas de imigrantes e refugiados ficaram feridos no domingo quando a polícia da Macedônia atirou balas de borracha e gás lacrimogêneo contra uma multidão no lado grego da fronteira, disseram funcionários de resgate gregos, numa ação chamada pela Grécia de "perigosa e deplorável".

"Vimos a tensão se desenvolvendo em diversas fronteiras europeias, entre forças da segurança em um lado e pessoas fugindo da guerra e em necessidade de ajuda no outro", disse o porta-voz do Acnur, Adrian Edwards, em comunicado.

"Pessoas se machucam e propriedades são danificadas. Danos são feitos para a percepção de refugiados e para a imagem da Europa. Todos perdem".

Cerca de 11 mil imigrantes e refugiados ficaram no ponto de Idomeni, na fronteira grega, desde fevereiro, após uma série de repressões nas fronteiras pelos Bálcãs fecharem a rota para a o leste e centro da Europa. Eles estão dormindo há muitas semanas a céu aberto e condições precárias.

Conheça a TV 247

Mais de Mundo

Ao vivo na TV 247 Youtube 247