Onyx Cobra Macron sobre incêndios na... Austrália!

O folclórico ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, foi aoTwitter para cobrar alguma declaração do presidente francês, Emmanuel Macron, sobre os incêndios na Austrália, onde os focos de fogo são alimentados por temperaturas em elevação e ventos fortes, e não criminosos

(Foto: PR | Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O folclórico ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, foi aoTwitter nesta terça-feira 2 para cobrar alguma declaração do presidente francês, Emmanuel Macron, sobre os incêndios na Austrália. Segundo o ministro, Macron “comandou em 2019 as fake news contra o Brasil por ocasião das queimadas abaixo da média histórica“.

Mais de 200 focos de incêndio têm devastado as florestas do sudeste da Austrália e obrigado várias pessoas a deixarem as suas casas. Os focos de incêndio são alimentados por temperaturas em elevação e ventos fortes. No Brasil, por outro lado, investigações apontaram que diversos incêndios foram iniciados de forma criminosa, com omissão do governo federal.

Durante as queimadas da Amazônia, em agosto de 2019, Macron fez diversas declarações em defesa das florestas. “Temos um verdadeiro ecocídio se desenvolvendo em toda a Amazônia. Precisamos encontrar uma boa governança na Amazônia", chegou a dizer o presidente francês, numa forte crítica ao presidente brasileiro.

Leia mais na Reuters sobre os incêndios na Austrália:

Incêndios florestais em cidades turísticas da Austrália forçam retiradas em massa

Por Jill Gralow e Sonali Paul

BATEMANS BAY/MELBOURNE (Reuters) - Dezenas de milhares de pessoas que viajaram nos feriados de final de ano fugiram da aproximação de incêndios florestais de cidades do litoral leste da Austrália nesta quinta-feira, e navios e helicópteros militares começaram a resgatar outros milhares cercados pelas chamas.

Alimentados por temperaturas em elevação e ventos fortes, mais de 200 incêndios estão ativos nos Estados de Nova Gales do Sul e Vitória, ameaçando várias cidades.

Longas filas se formaram diante de supermercados e postos de combustível, já que moradores e turistas procuraram suprimentos para se abrigar ou fugir do fogo, esvaziando as prateleiras de produtos básicos como pão ou leite.

Mais de 50 mil pessoas estavam sem luz, e algumas cidades menores estavam sem acesso a água potável.

As autoridades pediram um êxodo em massa de várias cidades da costa sudeste da Austrália, uma área muito popular no auge da atual temporada de verão, alertando que o calor extremo previsto para o final de semana atiçaria ainda mais as chamas.

"A prioridade hoje é combater incêndios e evacuar, deixar as pessoas em segurança", disse a primeira-ministra, Scott Morrison, a repórteres em Sydney. "Há partes tanto de Vitória quanto de Nova Gales do Sul que foram completamente devastadas, com perda de energia e comunicações".

Oito pessoas foram mortas por incêndios florestais nos dois Estados desde segunda-feira, e 18 ainda estão desaparecidas, disseram autoridades nesta quinta-feira. Milhares de pessoas já foram transferidas da grande região adjacente de Gippsland Oriental, em Vitória, uma das maiores retiradas do país desde que a cidade de Darwin, no norte, retirou mais de 35 mil pessoas na esteira do ciclone Tracy em 1974.

"É um inferno na terra. Ninguém nunca viu nada pior", disse Michelle Roberts à Reuters por telefone do Croajingolong Cafe de sua propriedade em Mallacoota. Ela esperava levar a filha de 18 anos ao navio para escapar das chamas e da fumaça espessa que estão engolindo a cidade.

Na temporada atual, incêndios florestais já devastaram mais de 4 milhões de hectares de terras áridas e destruíram mais de mil casas, incluindo 381 lares do litoral sul só nesta semana.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247