Para Capriles, mídia estatal favorece Maduro

Na queixa, a campanha de Capriles disse que foram destinadas mais de sete horas de programação ao candidato governista e menos de seis minutos ao oposicionista no primeiro dia oficial de campanha

Para Capriles, mídia estatal favorece Maduro
Para Capriles, mídia estatal favorece Maduro
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Leandra Felipe *
Correspondente Agência Brasil/EBC

Bogotá - O comando da campanha eleitoral de Henrique Capriles, candidato à Presidência da Venezuela, apresentou ontem (3) ao Conselho Nacional Eleitoral (CNE) da Venezuela uma denúncia de favorecimento no tempo destinado à cobertura da campanha eleitoral do candidato do governo e presidente interino, Nicolás Maduro, para as eleições de 14 de abril. Na queixa, a campanha de Capriles disse que foram destinadas mais de sete horas de programação ao candidato governista e menos de seis minutos ao oposicionista nessa terça-feira (2), primeiro dia oficial de campanha.

Segundo Carlos Vecchio, representante da campanha de Capriles que apresentou a queixa ao CNE, houve desequilibro na cobertura da campanha nos meios de comunicação estatais. "Em 2 de abril a cobertura da campanha dos meios estatais dedicou sete horas e sete minutos  à agenda de  Nicolás Maduro e cinco minutos e trinta e sete segundos ao evento de Enrique Capriles", disse.

A denuncia é direcionada aos meios estatais de comunicação representados pelo Sistema Bolivariano de Comunicação e Informação (Sibci). A Sibci é formada por 14 empresas de comunicação, com TVs, rádios e agências de notícia.

Vecchio disse que as empresas que formam o Sibci entraram em cadeia para transmitir a agenda de Maduro. "Há um desbalanço informativo e o uso de recursos públicos para o fim eleitoral. Para isso foi criado o Sibci, para favorecer uma opção política oficial?", questionou Vecchio.

Os meios de comunicação estatais e privados no país noticiaram a apresentação da queixa da oposição. Os veículos do governo também disseram que Capriles não respondeu ao convite feito pelo ministro de Comunicação e Informação do país, Ernesto Villegas, para uma entrevista na emissora estatal Venezuelana de Televisão (VTV). Ainda segundo a VTV, Capriles não permitiu a participação de jornalistas do Sibci em uma entrevista coletiva concedida por ele nessa terça-feira.

* Com informações da Venezuelana de Televisão (VTV)

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247