Partido de Rajoy vence na Espanha, mas não consegue maioria

O Partido Popular, do primeiro-ministro Mariano Rajoy, venceu as eleições da Espanha no domingo ao subir para 136 assentos sua presença no Parlamento, ante os 123 que haviam sido obtidos em dezembro, enquanto todos os outros partidos diminuíram ou ficaram estáveis, mostraram dados preliminares com 90% dos votos apurados; resultado, porém, está longe ainda dos 176 mandatos que garantem maioria absoluta no Congresso espanhol

Primeiro-ministro interino da Espanha, Mariano Rajoy, durante evento em Madri. 27/06/2016 REUTERS/Marcelo Del Pozo
Primeiro-ministro interino da Espanha, Mariano Rajoy, durante evento em Madri. 27/06/2016 REUTERS/Marcelo Del Pozo (Foto: Leonardo Attuch)

Da Agência Lusa

A vitória do Partido Popular na Espanha domina hoje as manchetes dos jornais espanhóis, que mencionam a necessidade do presidente Mariano Rajoy de negociar para formar o governo, apesar de uma votação melhor que a de dezembro.

O Partido Popular foi o mais votado nas eleições parlamentares de ontem (26), com 137 deputados, 14 a mais do que nas legislativas de dezembro, porém longe ainda dos 176 mandatos que garantem maioria absoluta no Congresso espanhol.

O Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE), de Pedro Sanchez, ficou em segundo lugar, com 85 lugares, enquanto a aliança de esquerda Unidos Podemos, que as sondagens colocavam em segundo lugar, ficou em terceiro e elegeu 71 deputados. O partido de centro-direita Ciudadanos conseguiu 32 assentos.

Apenas uma coligação do PP com o PSOE conseguirá reunir apoio suficiente para que a Espanha possa ter um governo de maioria.

Na sua edição online, a manchete do El Mundo diz "Espanhóis dão uma nova oportunidade a Mariano Rajoy", e acrescenta que "o PP reforça sua maioria no Senado, com mais seis senadores".

O jornal El País traz a seguinte manchete: "PP tem reforço e bloco de esquerdas perde terreno", enquanto o ABC destaca "Espanha quer que Rajoy governe" e o La Vanguardia, "Rajoy ganha força e Podemos não consegue ultrapassar PSOE".

O ABC traz na capa uma foto de Mariano Rajoy com a mulher, Elvira Férnandez, celebrando a vitória nas eleições de domingo.

A capa do jornal Vanguardia tem uma foto do casal vitorioso, com a legenda "reclamamos o direito a governar", é acompanhada pelos resultados globais e pelos resultados na Catalunha.

Nos regionais, o jornal basco El Correo salienta que "Rajoy reclama o seu 'direito a governar' após a vitória do PP", enquanto o Diário de Sevilha, em sua edição online, diz que "Rajoy tem reforço com vitória mais ampla".

Entre os jornais catalães, o El Periódico de Catalunya escreve na sua página na internet que "PP ganha e fica nas mãos do PSOE", um texto que é acompanhado pela distribuição dos lugares após os resultados finais.

"Espanha pede um governo de Rajoy" é o título em destaque na edição online do La Razón.

Os galegos La Voz de Galicia e o Faro de Vigo trazem as manchetes "PP ganha com clareza, PSOE resiste e Rajoy está mais perto de formar Governo" e "PP reforça vitória e PSOE salva-se da ultrapassagem apesar de retroceder", respetivamente.

A manchete do jornal econômico Expansión é "PP de Rajoy sai com reforço para formar Governo", enquanto o Cinco Días faz referência à pressão sobre as bolsas no dia seguinte às eleições. "Rajoy sai reforçado, mas terá de negociar" é um dos títulos da edição online do Cinco Días, que lembra em outra manchete que o "PP ganhou lugares em nove comunidades autônomas".

Tal como nas eleições de 20 de dezembro de 2015, os partidos são obrigados a fazer acordos para conseguir governar e, à exceção de um hipotético acordo do PP com o PSOE, são necessárias pelo menos três forças políticas para tal.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247