Pelo menos 140 mil ucranianos vão para a Rússia

Na sequência dos recentes acontecimentos que abalaram a antiga república soviética, ucranianos têm deixado o país com destino à Rússia, disseram neste sábado 1º autoridades russas

People attend a rally in Independence Square in Kiev, February 26, 2014. Ukraine's protest leaders on Wednesday named former economy minister Arseny Yatseniuk as their choice to head a new government following the overthrow of President Viktor Yanukovich.
People attend a rally in Independence Square in Kiev, February 26, 2014. Ukraine's protest leaders on Wednesday named former economy minister Arseny Yatseniuk as their choice to head a new government following the overthrow of President Viktor Yanukovich. (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Da Agência Lusa

Pelo menos 143 mil pessoas deixaram a Ucrânia com destino à Rússia, na sequência dos recentes acontecimentos que abalaram a antiga república soviética, disseram hoje (1º) autoridades russas. "De acordo com dados do serviço de fronteiras, 143 mil pessoas deixaram a Ucrânia com destino à Rússia desde o início dos acontecimentos [no país]", declarou o senador Evgueni Buchmin. Ele ressaltou que os dois países têm uma fronteira de cerca de 2 mil quilômetros.

A responsável do serviço federal das migrações russo, Valentina Kazakova, adiantou o mesmo número. "Os acontecimentos trágicos na Ucrânia levaram a um aumento considerável do número de pedidos dirigidos aos serviços migratórios regionais", declarou Kazakova à agência de notícias oficial russa Itar-Tass. "Durante as duas últimas semanas de fevereiro, pelo menos 143 mil pessoas apresentaram um pedido. As pessoas estão confusas, assustadas e deprimidas", acrescentou ela.

O governador da região de Briansk (na fronteira ucraniana), Nikolai Denin, declarou à Itar-Tass ter constatado um "fluxo de cidadãos ucranianos que pretende ficar na Rússia até que a situação na Ucrânia se normalize". O governador da região de Rostov, Vassili Golubev, indicou ter observado também "um fluxo de cidadãos ucranianos na Rússia".

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email