Pequim promete resposta imediata se novas tarifas de Trump causarem danos à China

As autoridades chinesas reagiram assim à aprovação pelo presidente dos EUA, Donald Trump, de acordo com a mídia norte-americana, de quotas de importação de mercadorias chinesas no valor de US$ 50 milhões (R$ 186,8 milhões)

Bandeiras da China e dos Estados Unidos são vistas em Washington 18/01/2011 REUTERS/Hyungwon Kang
Bandeiras da China e dos Estados Unidos são vistas em Washington 18/01/2011 REUTERS/Hyungwon Kang (Foto: Reinaldo)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247, com Sputnik - O anúncio foi feito pelo porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Geng Shuang, durante uma coletiva de imprensa realizada na sexta-feira (15).

De acordo com ele, Pequim dará passos imediatos necessários para proteger o país se as novas tarifas dos EUA causarem danos aos interesses nacionais da China.

Há pouco, o Conselho de Estado da China informou que planeja reduzir as tarifas de importação de várias mercadorias como cosméticos, roupas e eletrodomésticos para fortalecer sua indústria e promover e estimular a competitividade. Além disso, reagiu impondo uma taxa de 25% sobre 106 itens de bens importados dos Estados Unidos.

Anteriormente, os EUA haviam decidido aumentar as atuais taxas de importação sobre os produtos chineses em 50 bilhões de dólares. As novas taxas serão aplicadas a 1,3 mil produtos chineses, como resposta à alegada violação dos direitos intelectuais por parte da China em relação aos produtos americanos.

Em 3 de junho, a China alertou os Estados Unidos que qualquer acordo alcançado sobre o comércio entre os dois países será anulado se Washington implementar tarifas e outras medidas restritivas.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247