Peruanos vão às urnas para eleger novo presidente

Cerca de 23 milhões de peruanos são chamados neste domingo 10 às urnas para eleger o presidente, dois vice-presidentes, 130 legisladores e 15 representantes no Parlamento Andino para o período 2016-2021; disputam o cargo de presidente Verónika Mendoza, Pedro Pablo Kuczynski e Keiko Fujimori, filha do ex-presidente Alberto Fujimori, considerada favorita pelas pesquisas

Cerca de 23 milhões de peruanos são chamados neste domingo 10 às urnas para eleger o presidente, dois vice-presidentes, 130 legisladores e 15 representantes no Parlamento Andino para o período 2016-2021; disputam o cargo de presidente Verónika Mendoza, Pedro Pablo Kuczynski e Keiko Fujimori, filha do ex-presidente Alberto Fujimori, considerada favorita pelas pesquisas
Cerca de 23 milhões de peruanos são chamados neste domingo 10 às urnas para eleger o presidente, dois vice-presidentes, 130 legisladores e 15 representantes no Parlamento Andino para o período 2016-2021; disputam o cargo de presidente Verónika Mendoza, Pedro Pablo Kuczynski e Keiko Fujimori, filha do ex-presidente Alberto Fujimori, considerada favorita pelas pesquisas (Foto: Gisele Federicce)

Da Agência Brasil*

Cerca de 23 milhões de peruanos são chamados hoje (10) às urnas para eleger o presidente, dois vice-presidentes, 130 legisladores e 15 representantes no Parlamento Andino para o período 2016-2021. Disputam o cargo de presidente Verónika Mendoza, Pedro Pablo Kuczynski e Keiko Fujimori, filha do ex-presidente Alberto Fujimori, considerada favorita pelas pesquisas.

A missão de observadores da Organização dos Estados Americanos (OEA) que acompanha as eleições presidenciais no Peru condenou o ataque que causou a morte de dois militares e de um civil, que transportavam material para a votação.

Em comunicado, a missão da OEA enviou condolências aos familiares das vítimas e rejeitou "veementemente qualquer tipo de violência que vise a afetar o desenrolar pacífico da jornada eleitoral".

Também pediu que hoje prevaleça "um ambiente de calma e tranquilidade para que a sociedade peruana possa exercer o seu direito de voto de forma livre e segura".

O ataque a uma patrulha militar foi atribuído pelas autoridades peruanas ao grupo Sendero Luminoso. Há algumas semanas, integrantes do grupo lançaram panfletos contra as eleições presidenciais e legislativas, informou a imprensa local.

Os candidatos à Presidência da República Verónika Mendoza e Pedro Pablo Kuczynski condenaram a emboscada contra a patrulha militar.

*Com informações da Agência Lusa

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247