Pesquisa Ipsos: apoio de norte-americanos ao impeachment de Trump cresce a 45%

A pesquisa Ipsos/Reuters realizada entre 26 e 30 de setembro constatou que 45% por cento dos adultos acreditam que o republicano Donald Trump “deveria sofrer impeachment”, em comparação com 37% em uma pesquisa semelhante realizada na semana passada

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

NOVA YORK (Reuters) - O número de norte-americanos a favor do impeachment do presidente Donald Trump aumentou 8 pontos percentuais na última semana, quando os democratas iniciaram um inquérito sobre as alegações de que Trump pressionou a Ucrânia a manchar a reputação de seu rival político democrata Joe Biden, de acordo com uma pesquisa Reuters/Ipsos divulgada nesta segunda-feira.

A pesquisa realizada entre 26 e 30 de setembro constatou que 45% por cento dos adultos acreditam que o republicano Trump “deveria sofrer impeachment”, em comparação com 37% em uma pesquisa semelhante realizada na semana passada. Outros 41% disseram que Trump não deveria ser destituído do cargo e 15% afirmaram que “não sabem”.

Entre os democratas, 74% disseram que Trump deveria sofrer impeachment, um aumento de 8 pontos em relação à semana passada, enquanto 13% dos republicanos apoiam o impeachment, um aumento de 3 pontos. O número permaneceu inalterado entre os independentes em 37%.

A pesquisa também apontou que dois em cada três adultos norte-americanos, incluindo quase metade dos republicanos, disseram que qualquer autoridade eleita “deveria ser removida” do cargo se trabalhar com um governo estrangeiro para atacar um rival político.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email