Polícia faz buscas em propriedades de Cristina Kirchner

Polícia argentina realizou buscas em propriedades da ex-presidente Cristina Kirchner como parte de uma investigação sobre possível corrupção durante seus dois mandatos, encerrados em dezembro com a posse de Mauricio Macri; autoridades buscavam documentos relacionados a um caso no qual Cristina é acusada de enriquecimento ilícito utilizando uma companhia do setor imobiliário da família

Polícia argentina realizou buscas em propriedades da ex-presidente Cristina Kirchner como parte de uma investigação sobre possível corrupção durante seus dois mandatos, encerrados em dezembro com a posse de Mauricio Macri; autoridades buscavam documentos relacionados a um caso no qual Cristina é acusada de enriquecimento ilícito utilizando uma companhia do setor imobiliário da família
Polícia argentina realizou buscas em propriedades da ex-presidente Cristina Kirchner como parte de uma investigação sobre possível corrupção durante seus dois mandatos, encerrados em dezembro com a posse de Mauricio Macri; autoridades buscavam documentos relacionados a um caso no qual Cristina é acusada de enriquecimento ilícito utilizando uma companhia do setor imobiliário da família (Foto: Paulo Emílio)

Reuters - A polícia argentina realizou buscas em propriedades da ex-presidente Cristina Kirchner nesta quinta-feira, como parte de uma investigação sobre possível corrupção durante seus dois mandatos, encerrados em dezembro com a posse de Mauricio Macri.

Autoridades buscavam documentos relacionados a um caso no qual Cristina é acusada de enriquecimento ilícito utilizando uma companhia do setor imobiliário da família, chamada Los Sauces, informou a agência de notícias estatal Telam.

A televisão local mostrou imagens das buscas sendo realizadas. O juiz e investigadores a cargo do caso não puderam ser encontrados para comentários. A ex-presidente não se pronunciou imediatamente.

As propriedades em questão estão localizadas em três partes da Patagônia: Rio Gallegos, El Calafate e El Chalten, disse a Telam.

Em outro caso, Cristina Kirchner foi indiciada em maio sob acusações de ser responsável por irregularidades do banco central no mercado de futuros.

Após testemunhar nesse caso, ela acusou o atual governo de perseguição política.

O governo de Macri abriu investigações sobre alegações de corrupção durante a Presidência de Cristina, de 2007 a 2015.

Em um bizarro acontecimento no começo de junho, um dos principais assessores da ex-presidente foi pego arremessando bolsas cheias de dinheiro, com quase 9 milhões de dólares, por cima dos muros de um monastério na província de Buenos Aires. Ele foi preso sob suspeita de lavagem de dinheiro.

(Por Walter Bianchi)

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247